Estado investe R$ 13 milhões na saúde, em Maracanaú

5 de Maio de 2010

O governador Cid Gomes assinou nesta terça-feira (4), as ordens de serviço para a construção de uma Policlínica, que oferecerá 13 especialidades médicas, e de uma Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), em Maracanaú, Região Metropolitana de Fortaleza. De posse dos documentos, as empresas vencedoras das licitações terão o prazo cinco meses para entregarem as obras à população. Na policlínica o investimento será de R$ 11 milhões, tanto na construção quanto na aquisição de equipamentos. Já no CEO serão aplicados R$ 2 milhões.

 

Segundo informou o governador, para o gerenciamento dessas unidades de saúde, será adotado o modelo de gestão participativa, consorciada entre os municípios beneficiados com os equipamentos. Além disso, os profissionais serão contratados conforme a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). “Com esse sistema, vamos garantir a população atendimento de qualidade. Onde identificarmos falta de compromisso com a atividade e falta de zelo com a população, o funcionário será substituído”, assegurou Cid. O governador explicou ainda que “a porta de entrada” para a saúde deve ser através do Programa de Saúde da Família (PSF) e que só após orientação de um médico é que se deve buscar atendimento especializado.

 

De acordo com o secretário da Saúde, Arruda Bastos, com a Policlínica de Maracanaú, já chega a 19 o número de equipamentos como esse em construção, de um total de 21. “Já estamos com sete policlínicas em conclusão”, enumerou. O titular da Saúde disse ainda que dos 16 CEOs que estão em construção, seis já foram inaugurados. “Nesses quatro anos os investimentos na saúde ultrapassam R$ 600 milhões”, ressaltou Arruda ao referir-se a construção de dois hospitais regionais, reforma de todas as unidades estaduais de saúde, aquisição de novos equipamentos, entre outras ações.

 

Para o líder do Governo, Nelson Martins, a área social do Ceará está passando por um processo de transformação. O parlamentar explica que a lei estabelece que sejam investidos 12% do orçamento na saúde, e o governo investiu 17%, na educação foram investidos 29,3% quando a lei estabelece que sejam investido 25%. “Em quatro anos vamos chegar a R$ 7 bilhões em investimentos”, comemorou Martins.

 

05.05.2010

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

Casa Civil (comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 3101.6247)