Primeira indústria automatizada de aço é inaugurada no NE

6 de Maio de 2010

O governador Cid Gomes participou nesta quinta-feira (6) da inauguração da fábrica de tubos de aço Hydrostec, no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). A empresa é responsável pelo fornecimento de tubos de aço para as obras do sistema adutor Gavião- Pecém que compreende o trecho V do Eixão das Águas.  A unidade é a primeira do Nordeste em produção automatizada de tubos de aço.

 

Durante a inauguração, Cid Gomes alertou aos empresários, que não só o Ceará, como também os demais estados do Nordeste, ainda demandarão muitos investimentos em áreas de transposição de águas, o que justifica a importância de indústrias que forneçam os insumos para as atividades.  O governador explicou que as obras de integração do São Francisco vão permitir que chegue ao Ceará 47 mil litros de água por segundo. Com a chegada da água, segundo o Governador, será possível pôr em prática o projeto chamado “Cinturão das Águas”, que envolverá todo o Estado, através de conjunto de canais e adutoras, com extensão de 3 mil quilômetros, para dar segurança hídrica à 92% da população. “Esse é um projeto de longo prazo, mas o primeiro trecho nós vamos licitar ainda esse ano e o investimento será de R$ 1,3 bilhão”, anunciou Cid.

 

O chefe do Executivo foi enfático ao solicitar que os usuários da companhia de Abastecimento de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) sejam beneficiados com a economia que será gerada com a conclusão das obras do trecho IV do Eixão. De acordo com Cid Gomes, o trecho IV vai tornar mais eficiente a integração dos açudes Gavião, Riachão, Pacoti, Pacajus e Aracoiaba, melhorando o sistema de abastecimento de água da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), o que deve gerar economia para a Companhia.  A previsão é de que as obras sejam concluídas até o fim deste ano.

 

O trecho V, que levará água do Gavião até Complexo Portuário, já está em obras e deverá ser inaugurado em junho, conforme adiantou o secretário dos Recursos Hídricos, César Pinheiro. Com a obra, a oferta de água no Porto que atualmente é de 1.500 litros por segundo, passará para 5 mil litros por segundo. “A termelétrica demandará cerca de 1.000 litros por segundo. A Siderúrgica, algo em torno 1.500 litros por segundo e a Refinaria, outros 1.000 litros por segundo”, explicou o Governador.

 

Para o presidente da empresa, Luíz Antônio Bovo, além dos incentivos fiscais oferecidos pelo Estado, a política de abastecimento de água que está em execução no Ceará foi um dos fatores decisivos para a escolha do local de instalação da fábrica. O empreendimento tem capacidade de produzir entre 300 e 600 metros de tubos de aço diariamente, com diâmetros que variam de 40 centímetros a 3 metros. Para as obras do Eixão, a empresa está produzindo mais de 58 quilômetros de tubos com 1,6 metro de diâmetro. “Com a nossa fábrica, o Nordeste terá autossuficiência na produção de tubos de aço. Nossa grande meta é colaborar com o crescimento do Ceará e do Nordeste do Brasil”, afirmou.

 

06.05.2010

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil (comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 3101.6247)