Sábado é dia “D” de vacinação contra meningite e pneumonia

17 de setembro de 2010

Neste sábado, 18, a Secretaria da Saúde promove o dia “D” de vacinação estadual contra meningite e pneumonia. A Sesa recebeu do Ministério da Saúde e distribuiu com os municípios 268 mil doses da vacina anti-pneumocócica 10-valente. A vacina protege contra a bactéria Streptococcus pneumoniae, o pneumococo, causador de doenças pneumocócicas invasivas, como a meningite e a pneumonia. A vacinação começou pela capital desde o último dia 8 e agora está disponível nos postos de saúde de todo o Estado. Na Sesa, Avenida Almirante Barroso, 600, funcionará um posto de vacinação neste sábado, das 8h às 17h, sem interrupção para o almoço.

 

É a primeira vez que a vacina está disponível na rede pública. A meta é vacinar 200 mil crianças de dois meses a 2 anos de idade. O Ceará é um dos 10 estados brasileiros participantes de uma investigação financiada pelo Ministério da Saúde para avaliar o impacto da vacina anti-pneumocócica 10-valente e verificar a efetividade na prevenção de doença invasiva. Este ano, o Ministério da Saúde incluiu a vacina no calendário básico de vacinação da criança.

 

Até o ano passado, a única vacina desse gênero disponível era a 7-valente, também encontrada em clínicas particulares, chegando a custar 200 reais cada dose. A vacina anti-pneumocócica 10-valente foi aprovada para uso em crianças brasileiras pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em junho de 2009. Um acordo de transferência de tecnologia para o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), permitiu ao Ministério da Saúde incluir a vacina no Programa Nacional de Imunizações (PNI), que fornece a vacina aos estados e municípios.

 

Para a verificação da efetividade da vacina anti-pneumocócica 10-valente, um mês após a sua aplicação a investigação vai selecionar no Hospital Infantil Albert Sabin e no Hospital São José de Doenças Infecciosas, da rede estadual, que funcionarão como hospitais-sentinela, 25 casos de doença pneumocócica invasiva, elegendo quatro controles (crianças não acometidas) para cada caso, por idade e vizinhança. Em todo o Brasil, serão identificados 250 casos e mil controles para investigação da efetividade da vacina. A pesquisa tem duração de dois anos.

 

O pneumococo é uma bactéria gram-positiva que tem 90 sorotipos imunologicamente distintos de importância epidemiológica mundial das doenças pneumocócicas. No Brasil, no período de 2000 a 2008, a média anual de meningite pneumocócica foi de 1.218 casos, o que representa aproximadamente 11% dos casos de meningite bacteriana registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). Nesse mesmo período, a incidência média anual foi de 0,7 casos por 100 mil habitantes e a letalidade média foi de 30%.

 

Considerando o grupo de crianças menores de dois anos, a incidência média anual de meningite foi de 5,9 casos por 100 mil habitantes. Para os menores de um ano, a incidência média anual foi de 9,5 casos por 100 mil habitantes. A letalidade média para essas duas faixas etárias foi de 33% e 34%.

 

No período de 2000 a 2008, ocorreram no país 7.129.291 internações por pneumonias, sendo 45% em menores de cinco anos. O pneumococo vem se apresentando como o principal causador de infecções em recém nascidos e em crianças até dois anos de idade. É responsável por 45% das pneumonias adquiridas na comunidade. É também responsável por otites, sinusites, meningites e becteremias na infância. Responde por 17% dos casos de pneumonia em crianças nos países em desenvolvimento e por 70% dos casos de doenças invasivas em menores de dois anos.

 

Em 2015, depois de cinco anos da introdução da nova vacina, a previsão é sejam evitadas cerca de 45 mil internações por pneumonia por ano em todo o Brasil. Com isso, a média dessas internações por ano cairá de 54.427 para 9.185, uma redução de 83%.

 

17.09.2010

 

Assessoria de Imprensa da Sesa:

Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br – 85 3101.5220)