Novas estratégias ampliam controle da dengue nos municípios

21 de Março de 2011

Além de mobilizar prefeitos para as ações efetivas de controle da dengue e de alertar e capacitar os profissionais de saúde sobre os sinais de alarme e assim qualificar a assistência aos pacientes, a Secretaria da Saúde do Estado amplia as estratégias de enfrentamento da doença. Uma das estratégias de reforço é a liberação de 20 leitos do Hospital Waldemar Alcântara exclusivamente para atendimento a pacientes com suspeita de dengue encaminhados pelo Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Os dois hospitais são da rede estadual.

 

A expansão dos serviços básicos de saúde tem destaque no plano de enfrentamento da atual situação de dengue. Com o objetivo de evitar a superlotação nos hospitais e garantir atendimento já no aparecimento dos primeiros sintomas da dengue, evitando agravamento e complicações no quadro de saúde dos pacientes, o plano inclui o funcionamento de postos de saúde também no horário noturno nos municípios classificados como de risco muito alto de epidemia, registrando elevado número de casos e de óbitos. No Ceará, há 45 municípios nessa classificação de risco de epidemia, segundo indicadores do Ministério da Saúde. Os postos de saúde, unidades da atenção básica, são de responsabilidade e gerenciamento das prefeituras municipais. Através da Associação de Prefeitos do Estado do Ceará (Aprece), a Sesa espera sensibilizar os gestores municipais para garantir a ampliação do horário de funcionamento.

 

Com a determinação de apoiar os municípios com mais de 100 mil habitantes e classificados como de risco muito alto de epidemia, a Sesa vai realizar novas capacitações com as equipes do Programa Saúde da Família. Quer com a atualização dos profissionais renovar a importância dos sinais de alarme na redução de agravamento da doença e no tratamento dos pacientes. Entre os sinais de alarme, que quando aparecem os pacientes devem procurar imediatamente uma unidade de saúde, estão dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, fezes escuras, diminuição da diurese, desconforto respiratório, prova do laço positiva e queda repentina das plaquetas.

 

As capacitações dos profissionais para o diagnóstico rápido da doença são permanentes na Sesa. Na última semana, promoveu capacitações com um dos maiores especialistas em dengue do mundo, o cubano Eric Martinez. De segunda, 14, a 18, Eric Martinez atualizou profissionais de diferentes hospitais das redes pública e complementar. Ele foi incisivo em afirmar que a rapidez e a qualidade do atendimento na atenção básica, realizado nos postos de saúde, são determinantes no tratamento do paciente com dengue, com atenção 24 horas para os sinais de alarme. Esta semana a Secretaria da Saúde está distribuindo com postos de saúde e hospitais e médicos e enfermeiros uma nova nota técnica chamando a atenção para esses sinais.

 

Sinais de Alarme

 

– Dor abdominal intensa e contínua

– Vômitos persistentes

– Hipotensão postural e ou lipotimia

– Sonolência e ou irritabilidade

– Hematêmese (vômitos com sangue)

– Fezes escuras (melena)

– Diminuição da diurese

– Hipotermia (diminuição repentina da temperatura corpórea)

– Desconforto respiratório

– Tontura ao levantar repentinamente

– Prova do Laço positiva

– Queda repentina das plaquetas

 

21.03.2011 

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 3101.5220)

Além de mobilizar prefeitos para as ações efetivas de controle da dengue e de alertar e capacitar os profissionais de saúde sobre os sinais de alarme e assim qualificar a assistência aos pacientes, a Secretaria da Saúde do Estado amplia as estratégias de enfrentamento da doença. Uma das estratégias de reforço é a liberação de 20 leitos do Hospital Waldemar Alcântara exclusivamente para atendimento a pacientes com suspeita de dengue encaminhados pelo Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Os dois hospitais são da rede estadual.

A expansão dos serviços básicos de saúde tem destaque no plano de enfrentamento da atual situação de dengue. Com o objetivo de evitar a superlotação nos hospitais e garantir atendimento já no aparecimento dos primeiros sintomas da dengue, evitando agravamento e complicações no quadro de saúde dos pacientes, o plano inclui o funcionamento de postos de saúde também no horário noturno nos municípios classificados como de risco muito alto de epidemia, registrando elevado número de casos e de óbitos. No Ceará, há 45 municípios nessa classificação de risco de epidemia, segundo indicadores do Ministério da Saúde. Os postos de saúde, unidades da atenção básica, são de responsabilidade e gerenciamento das prefeituras municipais. Através da Associação de Prefeitos do Estado do Ceará (Aprece), a Sesa espera sensibilizar os gestores municipais para garantir a ampliação do horário de funcionamento.

Com a determinação de apoiar os municípios com mais de 100 mil habitantes e classificados como de risco muito alto de epidemia, a Sesa vai realizar novas capacitações com as equipes do Programa Saúde da Família. Quer com a atualização dos profissionais renovar a importância dos sinais de alarme na redução de agravamento da doença e no tratamento dos pacientes. Entre os sinais de alarme, que quando aparecem os pacientes devem procurar imediatamente uma unidade de saúde, estão dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, fezes escuras, diminuição da diurese, desconforto respiratório, prova do laço positiva e queda repentina das plaquetas.

As capacitações dos profissionais para o diagnóstico rápido da doença são permanentes na Sesa. Na última semana, promoveu capacitações com um dos maiores especialistas em dengue do mundo, o cubano Eric Martinez. De segunda, 14, a 18, Eric Martinez atualizou profissionais de diferentes hospitais das redes pública e complementar. Ele foi incisivo em afirmar que a rapidez e a qualidade do atendimento na atenção básica, realizado nos postos de saúde, são determinantes no tratamento do paciente com dengue, com atenção 24 horas para os sinais de alarme. Esta semana a Secretaria da Saúde está distribuindo com postos de saúde e hospitais e médicos e enfermeiros uma nova nota técnica chamando a atenção para esses sinais.

SINAIS DE ALARME

– Dor abdominal intensa e contínua

– Vômitos persistentes

– Hipotensão postural e ou lipotimia

– Sonolência e ou irritabilidade

– Hematêmese (vômitos com sangue)

– Fezes escuras (melena)

– Diminuição da diurese

– Hipotermia (diminuição repentina da temperatura corpórea)

– Desconforto respiratório

– Tontura ao levantar repentinamente

– Prova do Laço positiva

– Queda repentina das plaquetas

Atenciosamente,

George Araújo

Programador Visual

Livros, apostilas, banners

e impressos em geral

+55 85 8719 0593