Dia Mundial mobiliza população para cuidados com a tuberculose

22 de Março de 2011

O Ceará começou a semana de atividades de mobilização para marcar o Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose, comemorado no dia 24 de março. O controle da tuberculose é baseado na busca de casos, diagnóstico precoce e adequado, o tratamento até a cura com o objetivo de interromper a cadeia de transmissão e evitar a doença. Para concretizar esses objetivos, 13 Coordenadorias Regionais de Saúde da Sesa (CRES) promovem nos municípios, até sexta-feira (25), atividades educativas de mobilização e busca ativa de sintomáticos respiratórios. Em Fortaleza, está programada para esta quarta-feira (23) uma videoconferência com a pneumologista Tânia Brígido e a bioquímica Iracema Patrício, transmitida para os 99 pontos de Telessaúde de todo o Estado e para o auditório do DataSUS (Rua do Rosário, 283, sala 809 – Centro).

 

Na data em que é comemorado o dia Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose, 24 de março, as secretarias da Saúde do Estado e do Município de Fortaleza realizam o Dia na Praça para levar informações à população e fazer a busca ativa de sintomáticos respiratórios. Das 8h30min às 17 horas, equipes das duas secretarias estarão na Praça José de Alencar mobilizando a população. Pela manhã, das 8h30min às 17 horas, serão promovidas três palestras no auditório do Hospital de Messejana, Dr. Carlos Alberto Studart, com os temas “Dados epidemiológicos e operacionais da tuberculose no Ceará”, “A importância do Lacen na rede de laboratórios e no contexto do Programa de Controle da Tuberculose e Coinfecção TB/HIV”. No mesmo dia, às 11h30min, acontecerá a apresentação da pela “No jogo da vida a tuberculose pode ser vencida”, no espaço do restaurante da Sesa (Avenida Almirante Barroso, 600 – Praia de Iracema).

 

A tuberculose é uma doença grave, porém curável em praticamente 100% dos casos novos. O objetivo do tratamento é eliminar todos os bacilos tuberculosos, uma vez que permite anular rapidamente as maiores fontes de infecção. O tratamento deve ser feito no ambulatório com supervisão no serviço de saúde mais próximo, na residência ou no trabalho do doente. A hospitalização só está indicada, entre outras, nas situações de meningite tuberculosa, indicações cirúrgicas em decorrência da doença, complicações graves, intolerância medicamentosa incontrolável em ambulatório ou em casos socialmente difíceis, como na ausência de residência fixa ou em grupos especiais, com maior possibilidade de abandono, especialmente se for caso de retratamento ou de falência.

 

A Secretaria da Saúde do Estado quer preparar cada vez os profissionais de saúde para incentivar e despertar nos pacientes o compromisso de concluir o tratamento até o final dos seis meses de medicação e assim elevar a cura. No Ceará, no ano de 2009, foram notificados 3.804 novos casos de tuberculose pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). O índice de cura foi de 70%, abandono do tratamento de 7,6% e taxa de mortalidade de 3,1 por 100 mil habitantes. Em 2008, esse número foi maior: 3.721 novos casos. A incidência da doença ficou 45.6 por 100 mil habitantes.

 

Cada paciente pulmonar bacilífero (BK+), se não tratado, pode infectar em média 10 a 15 pessoas por ano. A tuberculose infecta pessoas em todos os países do mundo, tanto ricos como pobres. A pobreza, desnutrição, más condições sanitárias e alta densidade populacional são fatores que contribuem para que o agravo se dissemine e se transforme em doença. Apenas alcançando as metas de detecção de no mínimo 70% dos casos de tuberculose e cura de 85% destes casos é que o controle da doença realmente se dará e suas taxas começarão a diminuir gradativamente em 5% ao ano.

 

22.03.2011

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)