Internação de crianças por diarreia cai de 19,8% para 7,4% no Ceará

31 de Março de 2011

O Ceará realizou no ano passado 208.784 exames de controle da qualidade da água para consumo humano, 400% a mais que o total de 52.207 análises feitas em 2009. Entre 2006 e 2010, a coleta de amostras de água para exame de coliforme total e turbidez cresceu em mais de 1.200%, de 6.791 para 88.502 amostras. O controle da qualidade da água para consumo humano foi determinante para a redução constante, no Estado, da taxa de internação por diarreia em menores de 5 anos – 19,8% em 2006, 15,6% em 2007, 13,6% em 2008, 10,3% em 2009 e 7,4% em 2010.

Esse é um dos resultados constantes do Relatório de Desempenho Setorial – RDS 2010, instrumento que consolida a análise de desempenho de indicadores de resultados e produtos definidos anualmente pela Gestão Pública por Resultados, adotada pelo governo estadual. No demonstrativo de desempenho do RDS 2010, a Secretaria da Saúde cumpriu 22 das 29 metas estabelecidas para o ano passado, cinco metas mantiveram-se estáveis e duas não foram cumpridas. O RDS avalia o desempenho de 21 órgãos do Governo do Estado e é uma das exigências da Operação SWAp II, que condiciona crédito de US$ 240 milhões, em desembolsos programados até junho de 2012, a indicadores de desempenho para a promoção da inclusão social no Estado.

Em 2010, foram assistidas pelos serviços de saúde do SUS no Ceará 57.790 pessoas com deficiência, ou 28% a mais que as 45.145 atendidas em 2006. Para conquistar esse resultado, a rede de atenção à pessoa com deficiência chegou às 105 unidades no ano passado, 116,6% a mais que a meta estabelecida de 90 unidades. Foram entregues a portadores de deficiência 57.790 órteses, próteses e produtos de tecnologia assistida, que refere-se a todo e qualquer equipamento, produto ou sistema que torna possível a essas pessoas melhor qualidade de vida, através do aumento, manutenção ou da devolução das suas capacidades funcionais. Já o número de pessoas idosas assistidas pelo SUS passou de 642.018 em 2008 para 919.914 em 2010.

Na assistência farmacêutica, o RDS 2010 registrou pela primeira vez no ano passado um total de 148 municípios com acesso direto a medicamentos de média e alta complexidade. Já o número de microrregiões de saúde com acesso a esse tipo de assistência farmacêutica passou de 4 em 2006 para 8 em 2010. O número de exames especializados realizados pelo SUS também cresceu ano a ano, passando de 14.722.083 em 2006 para 20.456.797 em 2010. No ano passado foram realizadas, ainda, 2.260.456 consultas médicas especializadas.

Na atenção básica, a cobertura da população coberta pelo Programa Saúde da Família atingiu os 77,2%. No fim de 2010, o Ceará tinha 2.175 equipes do PSF cadastradas e 1.847 em funcionamento, com 14 mil agentes comunitários de saúde. Estavam cadastrados e em funcionamento 125 Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) em 69 municípios. Eram 1.666 equipes de saúde bucal cadastradas no PSF, com 1.416 funcionando.

Essa estrutura de atenção e promoção da saúde conseguiu reduzir a Razão da Mortalidade Materna para 52,8 por 100 mil nascidos vivos em 2010 no Ceará, menor que os 66,7 por 100 mil nascidos vivos de 2006. A taxa de parto e abortamento na adolescência caiu a 27,2 por mil mulheres de 10 a 19 anos. Em 2006, a taxa era de 32,3. Para promover a saúde da mulher, a Secretaria da Saúde desenvolveu ações nas áreas de saúde sexual e reprodutiva, incluindo a educação permanente dos profissionais e a estruturação dos serviços obstétricos, a orientação das gestantes e distribuição dos contraceptivos Misoprostol e Implanon. Foram implantados 21 Comitês Microrregionais de Redução da Mortalidade Materna, envolvendo 678 profissionais de todos os municípios cearenses. Foram, também, assinados os pactos nacional e estadual pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal, estabelecendo compromissos entre gestores, coordenadores municipais do PSF e Coordenação Nacional de Saúde da Mulher.

A Taxa de Mortalidade Infantil passou de 18,1 por mil nascidos vivos em 2006 para 13,0 por mil nascidos vivos no ano passado.  A tendência é de declínio, exceto na faixa neonatal (menores de 28 dias). Entre os 32.579 nascimentos ocorridos em 2010, houve 390 óbitos infantis, 287 em menores de 28 dias, 102 entre 28 dias e 1 ano e um de idade ignorada. O Plano de Controle de Óbito Neonatal foi implantado em 18 municípios prioritários. Foram ampliados os leitos de UTI neonatal, de unidades de cuidados intermediários (UCI) e berçários de médio risco dos hospitais Albert Sabin, César Cals e Maternidade Escola, da Universidade Federal do Ceará (UFC), unidades de referência terciária que realizam intervenções na atenção pré-natal, parto, nascimento e puerpério.

Com a estruturação e expansão em 55% da rede do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), o número de exames laboratoriais realizados em 2010 foi de 945.161, ou 167,4% a mais que os 353.453 exames realizados em 2006. Houve aumento quantitativo e do elenco de exames, com ampliação da detecção e acompanhamento de doenças de interesse da saúde pública. Foram, por exemplo, realizadas capacitações para exames de esquistossomose, tuberculose e hanseníase. O diagnóstico de HIV em gestantes passou a ser automatizado em oito laboratórios.

 

31.03.2011

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)