População cearense cresce 13,69% em uma década

4 de abril de 2011

O Ceará registrou, na última década (2000/2010), um aumento absoluto em sua população de 1.017.394 habitantes, o que equivale a um crescimento relativo de 13,69%. Em termos percentuais, a população estadual correspondeu a 15,92% da população da Região Nordeste e a 4,43% da população do Brasil. É o que revela o Ipece Informe (nº 03), trabalho realizado pelo Instituto de Pesquisa E Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado.

O estudo traz os primeiros resultados do Censo Demográfico do Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, analisando algumas evidências na mudança do perfil populacional no Estado do Ceará na última década. Foram estudados os indicadores relacionados à população total; população segundo gênero; população urbana e rural; densidade demográfica e a taxa de crescimento geométrica da população. O estudo completo pode ser acessado na página www.ipce.ce.gov.br.

A população cearense representava 15,52% da população da região Nordeste e 4,68% da população do Brasil, em 1970. Na década de 1980 e 1990, estes percentuais apresentaram uma redução, retomando novamente o crescimento relativo a partir da década de 2000, quando se observa os valores de 15,56% e 4,38%, respectivamente. O aumento de participação da população do Estado em relação à população total brasileira e nordestina na última década pode ser explicado, entre outros fatores, pela taxa média geométrica de crescimento anual da população do Ceará obtida entre os anos de 2000-2010, que foi de 1,29%. Esta taxa foi superior à registrada para o Brasil (1,17%) e para a Região Nordeste (1,07%).

CONCENTRAÇÃO

De acordo com o estudo, o Ceará tem ainda uma forte concentração populacional na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), a qual foi ampliada nos últimos dez anos. Em 2000, 41,14% da população do Estado se encontrava na RMF, ao passo que em 2010 este percentual aumentou para 42,74%. Especificamente para o município de Fortaleza, observa-se que o mesmo obteve 28,97% da população total no ano de 2010, percentual que era de 28,81% no ano 2000.

No que diz respeito ao quantitativo populacional para os anos de 2000 e 2010 dos 184 municípios que compõem o Estado do Ceará, 21, o que representa 11,41%, sofreram redução populacional na última década. Desses, quatro estão no grupo de municípios com população inferior a 10.000 habitantes, 16 com população entre 10.001 e 50.000 e apenas 01 com população superior a 50.000 habitantes, corroborando que os pequenos municípios foram os que mais perderam contingente populacional entre os anos de 2000 e 2010.

GÊNERO

Ao analisar a distribuição da população do Estado do Ceará – fazendo o corte por gênero – constata-se uma pequena maioria de mulheres tanto para o ano 2000 como para o ano 2010. Este fato ocorre também para o Nordeste e o Brasil, verificando-se um maior quantitativo de mulheres nos anos analisados, embora na população cearense haja um maior percentual de mulheres em relação às outras regiões. Isso indica a manutenção da tendência histórica de predominância feminina na população cearense, nordestina e brasileira. No ano 2000, em termos absolutos, o quantitativo de mulheres atingiu a marca de 3.802.187 habitantes (51,17%) e o de homens 3.628.474 (48,83%) pessoas no Estado do Ceará. Já em 2010, o contingente feminino subiu para 4.329.989 pessoas (51,25%) e o masculino para 4.118.066 habitantes, representando 48,75% da população total.

DENSIDADE

As taxas geométricas de crescimento anual da população urbana e rural do Estado do Ceará foram respectivamente 1,78% e -0,50% no período 2000-2010, revela o estudo do Ipece. Em termos absolutos isso representa uma diminuição na população rural de 11.278 pessoas, ao passo que a população urbana teve um incremento de 1.028.672 habitantes, acompanhando tendência nacional. Isto pode ser explicado como consequência do processo de urbanização que o País, e consequentemente o Ceará, vem passando desde a década de 1980, com a população rural migrando para as cidades. Todavia, esse processo vem ocorrendo com maior intensidade no Ceará.

Em termos de densidade demográfica, o Estado do Ceará registrou no ano 2000 um valor de 49,93 hab./km2, passando para 56,76 hab./km2 no ano de 2010, ou seja, um incremento de aproximadamente 7 hab./km2. Comparado ao Brasil e a Região Nordeste tem-se que o Ceará obteve o maior valor, uma vez que as densidades demográficas calculadas para o Brasil e o Nordeste foram iguais a 22,39 hab./km2 e 34,15 hab./km2 respectivamente.

A distribuição da população no território cearense não é equitativa. A RMF constitui-se na área mais densamente povoada do Estado do Ceará, pois dos dez maiores municípios, nove encontram-se nesta região. Em contrapartida, as regiões do Sertão Central e dos Inhamuns têm a maior quantidade de municípios com baixos valores de densidade demográfica. É importante destacar que Fortaleza se constitui, em 2010, como a capital brasileira com maior densidade demográfica, medida em hab./km2.

 

 

Assessoria de Imprensa do IPECE

Pádua Martins – padua.martins@ipece.ce.gov.br

(85) 3101-4801 / 99170108