Ceará é o grande vencedor do Prêmio FINEP de Inovação 2011 da Região NE

2 de dezembro de 2011

No Prêmio FINEP de Inovação 2011 da Região Nordeste, o Ceará levou nada menos que cinco dos 12 prêmios concedidos, entregues em cerimônia no município de Campina Grande-PB, na Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), no último dia 30. Esta edição teve sete categorias, divididas em disputas regionais e nacional. Na categoria “Pequena Empresa” a BioClone Produção de Mudas (CE)  tirou o primeiro lugar a Fujitec (CE) o segundo. A Impacto Protensão (CE) levou o primeiro lugar na categoria “Média Empresa”, e a categoria “Instituição Científica e Tecnológica” teve como terceira colocada a Rede de Núcleos de Inovação Tecnológica do Ceará (Redenit-CE), coordenada pela Universidade Estadual do Ceará.

Na categoria “Inventor Inovador” concorreram apenas candidatos com patente depositada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e efetiva comercialização de suas criações nos últimos três anos. O primeiro lugar foi para Joaquim Antonio Caracas Nogueira, representante do Ceará. O engenheiro criou o “Sistema de Construção de Lajes Pré-Moldadas com a Utilização de Caixas Removíveis e Auto Sustentáveis em Vigotas”.

O prêmio teve ainda a categoria regional “Tecnologia Social”. Na disputa nacional estão as categorias “Grande Empresa” e “Prêmio INOVAR”, voltada para a área de capital de risco com regulamento e calendário próprios. Os primeiros colocados regionais em cada categoria concorrem agora à etapa Nacional, com premiação no dia 15/12, em Brasília, com a presença da presidenta Dilma Rousseff.

“O destaque do Ceará se deve muito ao investimento feito pelo Governo do Estado à inovação, através da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior”, comenta o secretário da Secitece, René Barreira.

A Secretaria também tem realizado cursos em parceria com o INPI – instituição que desde 2005 possui acordo de cooperação técnica com a Secitece. Os temas abordados vão de encontro ao programa para disseminação da cultura do uso do Sistema de Propriedade Intelectual no Estado.

“A própria Redenit-CE, vencedora do Prêmio FINEP e beneficiada pelas ações da Secitece, também tem contribuído para este ambiente de Inovação do Ceará”, frisa o coordenador de Ciência e Tecnologia da Secitece, Francisco Carvalho. A Rede tem identificado e gerado estratégias para que a grande quantidade de pesquisas desenvolvidas pelas ICTs transforme-se em inovação e negócios, contribuindo para o desenvolvimento, a proteção e a transferência da inovação tecnológica ao mercado.

Em 2011, O Prêmio FINEP de Inovação teve 353 inscrições em todo o território nacional, sendo 47 na região Nordeste. Os vencedores regionais receberão recursos não reembolsáveis, que variam de R$ 120 mil a R$ 2 milhões, dependendo da categoria premiada, totalizando R$ 17 milhões. A verba é para ser usada no desenvolvimento de projetos nas áreas de ciência, tecnologia e inovação.

 

Conheça mais sobre os vencedores do Nordeste e em especial do Ceará:

Pequena Empresa

1º lugar: BioClone Produção de Mudas (CE)
A BioClone fornece  ao produtor rural mudas de alto padrão de qualidade, com preços competitivos, com a utilização de métodos inovadores na área da Biotecnologia Vegetal, produzindo mudas em quantidade necessária para atender os projetos agrícolas, com  minimização do tempo e respeito ao meio ambiente. A empresa produz mudas de abacaxizeiro, bananeira, cana-de-açúcar e flores tropicais, nos três estágios de desenvolvimento: raiz nua, pré-aclimatada e aclimatada, com a garantia da Embrapa.

2º lugar: Fujitec (CE)
A Fujitec é uma empresa de tecnologia voltada para o fornecimento de soluções na área de sistemas de informação. Criada em 1991, iniciou suas operações fornecendo e desenvolvendo soluções inteligentes na área de automação comercial e projetos especiais envolvendo uso de cartões eletrônicos. A empresa é uma das cinco empresas mundiais homologadas para fornecimento de bilhetagem eletrônica na Suíça.

3º lugar: Aeropepe Plásticos de Engenharia (PE)
A Aeropepe introduziu no Brasil a tecnologia de projeto e fabricação de aeronaves totalmente em materiais compostos. Seu primeiro produto foi a aeronave leve “Flamingo”, que une design leve, velocidade e grande autonomia de voo. Hoje, os “Flamingos” voam em todas as regiões do Brasil e também na Europa.

 

Média Empresa

1º lugar: Impacto Protensão (CE)
A Impacto Protensão desenvolve soluções para a construção civil e credenciou-se como a pioneira no Brasil na utilização da cordoalha engraxada – espécie de feixe de cabos metálicos cobertos por material resistente ao atrito, destinados à construção. A Impacto investe de 10% a 20% do seu faturamento em inovação.

2º lugar: JJ Inspeções Técnicas em Equipamentos Industriais (BA)
A JJ Inspeções Técnicas é especializada em inspeção de equipamentos industriais. O foco da empresa é auxiliar a detecção e eliminação dos riscos que comprometem a segurança e a continuidade operacional de indústrias, reduzindo os custos com perdas e manutenção em equipamentos.

 

Instituição Científica e Tecnológica

1º lugar: Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (PE)

Criado em 1974, o Centro de Informática (CIn) da UFPE oferece cursos de graduação e de pós-graduação e é um dos centros brasileiros de referência em várias áreas da Computação, como Engenharia de Software, Inteligência Artificial, Linguagens de Programação, Lógica, Redes, Sistemas Distribuídos e Sistemas de Computação, entre outras. Desde os anos 1990, o Centro vem atraindo projetos de instituições pública e privadas de grande porte. Em particular, o CIn mantém estreita parceria com grandes organizações, como o C.E.S.A.R. – Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife -, o Porto Digital  e o Softex Recife, além de estabelecer uma relação estreita, possibilitada através de incentivos da Lei de Informática, com empresas privadas.

2º lugar: SENAI-CIMATEC – Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (BA)

O novo vetor de crescimento da matriz industrial baiana, principalmente a indústria de manufatura, levou o SENAI-BA a investir na criação do Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia – CIMATEC, voltado à formação de recursos humanos para a indústria, como também à prestação de serviços técnicos e tecnológicos, promovendo a produção, disseminação e adequação de tecnologia na região.

3º lugar: Rede de Núcleos de Inovação Tecnológica do Ceará, coordenada pela Universidade Estadual do Ceará (CE)

A Rede de Núcleos de Inovação Tecnológica do Ceará (Redenit – CE) visa organizar e estimular a parceria entre os Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) das Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs), públicas e privadas, sediados no Ceará.  Seu principal objetivo é identificar e gerar estratégias para que as pesquisas desenvolvidas pelas ICTs se transformem em inovação e negócios, contribuindo para o desenvolvimento e a transferência da inovação tecnológica para o mercado.

 

Tecnologia Social

1º lugar: Serviço de Assessoria a Organizações Populares Rurais – Quintais produtivos agroecológicos (BA)

Os objetivos da  tecnologia dos quintais produtivos agroecológicos são melhorar a segurança alimentar e nutricional por meio da experimentação de práticas agroecológicas; fortalecer as capacidades e promoção do protagonismo dos agricultores; contribuir para a conservação da biodiversidade local; fortalecer e valorizar o papel da mulher no núcleo familiar e na comunidade; disseminar as experiências para garantir a participação nos espaços de articulação política e conselhos municipais, estaduais e nacional e contribuir na formulação de políticas públicas.

2º lugar: Pangea Centro de Estudos Socioambientais- Rede Catabahia (BA)

A Rede Catabahia é a primeira rede de comercialização de materiais recicláveis organizada por catadores no Brasil, com assessoramento técnico constante. Com sede na Cooperativa de Catadores Agentes Ecológicos de Canabrava (CAEC), em Salvador, a Rede beneficia oito municípios do Estado da Bahia. Além dos importantes impactos ambientais e sociais, com um estímulo da economia de recursos naturais, a Rede afasta os catadores das ruas e lixões e eleva a estabilidade e o faturamento de cerca de 500 catadores e, indiretamente, de aproximadamente 2 mil famílias. Há também uma série de efeitos econômicos gerados pela iniciativa, como capacitação técnica de profissionais do setor e aumento da competitividade no mercado brasileiro de produtos recicláveis.

3º lugar: Centro de Educação Popular e Formação Social (CEPFS) – Adaptação às mudanças climáticas para convivência com a realidade semiárida (PB)

“Adaptação às Mudanças Climáticas para Convivência com o Semiárido” é uma experiência que busca promover o desenvolvimento da agricultura familiar, a partir do encontro de saberes locais para permitir aos agricultores mergulharem na realidade onde estão inseridos e conhecerem os potenciais e limites da região, fornecendo subsídio para criação e inovação de tecnologias sociais que possibilitem condições para melhor adaptar-se à realidade local.

 

Inventor Inovador

1º lugar: Joaquim Antonio Caracas Nogueira (CE)

O engenheiro Joaquim Caracas criou o “Sistema de Construção de Lajes Pré-Moldadas com a Utilização de Caixas Removíveis e Auto Sustentáveis em Vigotas”, um sistema prático e ágil, que proporciona redução de custos na construção civil, especialmente com a mão de obra e o tempo na construção de lajes pré-moldadas.  Além disso, o manuseio, transporte e armazenamento dos seus componentes são simplificados.

 

02.12.2011

Assessoria de Comunicação da Secitece

Cynthia Pinheiro Cardoso ( cynthiacardoso85@gmail.com / 85 3101.6466 – 6469)

Twitter: @Secitece