H1N1: casos notificados já estão em tratamento

2 de dezembro de 2011

Nesta sexta-feira (02), às 9 horas, o Comitê Estadual de Prevenção e Controle da Influenza se reúne na sede da Secretaria da Saúde do Estado (Avenida Almirante Barroso, 600, Praia de Iracema). Na pauta, o surto de gripe A H1N1 em Pedra Branca, no Sertão Central. Até o final da tarde desta quinta-feira foram notificados 534 casos no município (13 confirmados). Há casos também sendo investigados em Boa Viagem (24 casos), Quixadá (01), Quixeramobim (01) e em Acopiara, onde também foi coletado material de 1 paciente que está no Laboratório Central de Saúde Pública para exame. O resultado do exame é para confirmar ou descartar a circulação do vírus. O tratamento de todos os casos notificados independe do resultado dos exames. “O paciente chegou à unidade de saúde com dificuldade de respirar, tosse, coriza e mora em Pedra Branca ou teve contato com moradores de lá, imediatamente começa o tratamento com Tamiflu”, afirma coordenador de promoção e proteção à saúde da Sesa, Manoel Fonsêca.

A estratégia de tratar todos os pacientes com sintomas respiratórios da doença já com o Tamiflu, mesmo sem a confirmação de exames laboratoriais, trouxe resultados positivos no Rio Grande do Sul, que viveu um surto de H1N1 e não registrou nenhum óbito. No Ceará, até agora, essa estratégia, recomendada pelo Ministério da Saúde (MIS), também desde o início do surto em Pedra Branca, com as notificações iniciadas no último dia 23 de novembro, tem dado o retorno esperado que é evitar agravamento de casos e óbitos. Até agora todos os casos foram leves e moderados. Não houve necessidade de UTI e nem transferência de pacientes para hospitais de maior complexidade.

A Sesa, como medida preventiva e para estoque estratégico de assistência, já liberou caixas de Tamiflu para todas as 21 regionais de saúde. Na última quinta-feira (01), o secretário da saúde, Arruda Bastos, esteve em Brasília com o ministro da Saúde Alexandre Padilha e o secretário de vigilância em saúde Jarbas Barbosa que, atendendo a solicitação do Ceará, liberaram 9 mil doses do medicamento. “Eles disseram que estamos adotando as medidas corretas e que devemos manter firme a conduta de tratar todos os casos notificados com a aplicação imediata do Tamiflu”, comentou Arruda Bastos.

Exame

Em 2009, quando foram notificados 401 casos no Ceará, 17 confirmados, com 3 óbitos, o resultado do exame demorava 15 dias, em média. Isso porque o material coletado dos pacientes era enviado para exames fora do Estado. Eram realizados no Evandro Chagas, em Belém, Pará, laboratório referência do Ministério da Saúde para os Estados do Norte e Nordeste. Há 1 ano e meio o governo do Estado, através da Sesa, investiu na preparação de profissionais, aquisição de equipamentos e de insumos do Lacen, que garante o exame em 48 horas.

Lavar as mãos

Com a preocupação de orientar e alertar os profissionais de saúde no reforço da vigilância à doença, a Secretaria da Saúde do Estado lançou a Nota Técnica Influenza. Divulgou ainda nota orientando para o diagnóstico precoce e tratamento de casos suspeitos. Nas notas são destacados os sintomas da gripe A H1N1, como febre, tosse, coriza, dificuldade de respirar. Medidas de prevenção simples, como lavar as mãos com água e sabão, são lembradas com ênfase nas notas.

02.12.2011

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)