Governo do Estado e DNIT definem obras do anel viário

26 de dezembro de 2011

O Governo do Estado e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) definiram, em reunião ocorrida nesta segunda-feira (26) os locais onde as obras do anel viário de Fortaleza terão início. As ações começam na segunda quinzena de janeiro com a retomada das obras da ponte sobre o rio Siqueira e do viaduto da BR-020. As intervenções na ponte sobre o rio Coaçu, CE-060 e CE-065 terão início em fases posteriores. Participaram da reunião o diretor geral do DNIT, general Jorge Fraxe, o governador Cid Gomes, o secretário da Infraestrutura, Adail Fontenele (Seinfra); o superintendente do Departamento Estadual de Rodovias (DER), Sérgio Azevedo, além de diretores das Galvão  Engenharia e JBR, empresas responsáveis pelos serviços. A reunião aconteceu no Palácio da Abolição

A expectativa do diretor geral do DNIT é que as reuniões como a ocorrida hoje entre os governos estadual e federal consigam solucionar questões como desapropriações e outras ações relacionadas às obras, como o ajuste correto nas intervenções para não prejudicar o atual fluxo de veículos, especialmente o de caminhões. Para o secretário Adail Fontenele, a parceria com o DNIT é muito proveitosa, pois mostra a confiança do governo federal no bom desempenho que o Estado terá à frente das obras.

No dia 19 de dezembro o  governador Cid Gomes e o diretor geral do DNIT assinaram convênio para a conclusão dos trabalhos de duplicação e melhoramentos do Anel Viário. O Estado vai assumiu a execução das obras e receberá os recursos do DNIT. O convênio envolve recursos de R$ 200.465.573,22.  Com início em janeiro do ano que vem as obras estão previstas para terminar em 2015.

 

Saiba mais:

– O Anel viário compreende 32 km de extensão. Ele começa na CE-040 (Eusébio), segue pela BR-116 (Itaitinga), passa pela CE-060 (Maracanaú), CE-065 (Maranguape) e pela BR-020 (Caucaia), indo até avenida Mister Hull.

– A reforma do Anel Viário permitirá a melhoria de tráfego na Região  Metropolitana da Capital, principalmente para o Distrito Industrial de  Maracanaú, Maranguape e Ceasa, que atualmente sofrem com os congestionamentos. A duplicação é parte do Plano de Logística de Transporte do Porto do Pecém. A nova pista será de pavimento de concreto, mais resistente à movimentação de veículos pesados e terá maior durabilidade.

 

 

26.12.2011

Assessoria de Comunicação da Seinfra

Marcos Cavalcante

Luiz Guedes – (85) 3216.3763/65

@seinfrace (Twitter oficial da Secretaria da Infraestrutura do Estado)