Mutirões e ações na Capital e Interior reduzem tempo de espera para exame de DNA

4 de Janeiro de 2012

Espera que acabou. Além do trabalho de rotina, com a realização de 300 exames de DNA por mês, o Laboratório Central (Lacen) promove mutirões na Capital e no Interior para realização de testes de paternidade. Para este ano de 2012 já existem dois mutirões agendados para o mês de fevereiro. Primeiro no Crato, região do Cariri, nos dias 13 e 14, e depois em Frecheirinha, na região Norte, dias 27 e 28.

Em três anos de realização de exames de DNA para comprovação de paternidade, o Lacen apresenta números crescentes. Em 2011, fez 3.660 exames, assegurando aos filhos o direito de saber quem são os pais e, consequentemente, o direito às famílias, com a paternidade confirmada, de reivindicar pensão na justiça. Em 2010, foram realizados 2.827 exames de DNA, número superior aos 2.300 feitos em 2009. O total, de janeiro de 2009 a dezembro de 2011, soma 8.787 exames.

O Lacen, que fica na Avenida Barão de Studart, 2405, bairro Dionísio Torres, faz os exames de DNA no seu próprio laboratório de biologia molecular, inaugurado pela Secretaria da Saúde do Estado no final de 2008, que investiu R$ 1.355.708,00 na compra do sequenciador genético, na adaptação de área física e na aquisição de equipamentos e insumos. Antes do laboratório, apenas 55 exames eram feitos por mês através de um convênio da Sesa com a Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Ceará. Com essa reduzida quantidade, o resultado era uma longa fila de espera.  Quatro mil famílias aguardavam o acesso ao exame no ano de 2008. Em centenas de casos eram mais de três anos de espera.

 

 

 

04.01.2012

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira – 85. 3101 5220 | 8733 8213

soliveira@saude.ce.gov.br