Janeiro de 2012 é o melhor janeiro em transplantes de órgãos desde 1998

30 de Janeiro de 2012

O Ceará segue no primeiro mês de 2012 o ritmo acelerado de realização de transplantes de órgãos e tecidos de 2011, ano em que foram realizados 1.295 transplantes, o maior número da história do Estado. Em janeiro, até esta segunda-feira (30) já foram feitos 92 transplantes. Com esse número, é o melhor mês de janeiro desde 1998, quando a Central de Transplantes foi implantada na Secretaria da Saúde do Estado. Em janeiro do ano passado, mesmo num ano recordista, ficou em 78 o total de transplantes ver tabela abaixo com os números de janeiro e ainda anuais.

De 1998 a 2001 o Ceará transplantava coração, rins e córneas. A partir de 2003 passou a realizar também transplante de fígado. A diversificação e as inovações são um dos fatores decisivos nos recordes sucessivos de transplante dos últimos anos. Em 2008, o Hemoce, unidade da rede estadual, num trabalho integrado com o Hospital Wálter Cantídio, do governo federal, passou a realizar transplante de medula autólogo. No ano seguinte outra inovação, com o Hospital Geral de Fortaleza, também da rede estadual, incluindo na rotina da alta complexidade transplantes de pâncreas e fígado. Em 2011, outra importante inovação: o Hospital de Messejana, unidade do governo do Estado referência em pneumologia e cardiologia, além de realizar transplante de coração passa a transplantar pulmão. Tornou-se o primeiro e único Estado das regiões Norte e Nordeste a fazer transplante de pulmão.

Ao longo dos 13 anos da Central de Transplantes da Secretaria da Saúde do Estado e assim de dados organizados da doação e transplantes de órgãos e tecidos, outros fatores se somam as inovações e ao trabalho qualificado das equipes transplantadoras e  das equipes intra-hospitalares na conquista de números crescentes. Por exemplo, os investimentos em equipamentos modernos e na captação de órgãos fora do Estado independente do dia e do horário. Há três anos a Sesa adquiriu quatro eletroencefalogramas digitais para o diagnóstico da morte encefálica, que contribuem para a equipe de profissionais da Central de Transplantes reforçada com mais seis médicos e técnicos de apoio. Através do serviço de aeronave liberado pela Casa Civil, são captados órgãos em outros Estados, especialmente rins e fígado.

 

Em janeiro do ano passado, mesmo num ano recordista, ficou em 78 o total de transplantes – ver tabela abaixo com os números de janeiro e ainda anuais.

 

Ano

Janeiro

Anual

1998

12

173

1999

28

190

2000

32

272

2001

19

202

2002

27

296

2003

43

420

2004

46

559

2005

42

519

2006

18

446

2007

53

654

2008

48

742

2009

72

760

2010

80

872

2011

80

1.295

2012

92

92*

* até 30 de janeiro
Fonte: Central de Transplantes do Estado do Ceará

 

 

30.01.2012

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)