Seminário discute Operações de Estádios sedes da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014

10 de julho de 2012

Durante os dias 10, 11 e 12 Fortaleza é sede do Seminário de Operações de Estádios, promovido pelo Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014, no Centro de Eventos do Ceará. A abertura do evento aconteceu nesta terça-feira (10), no Centro de Eventos do Ceará, com a presença do secretário Especial da Copa, Ferruccio Feitosa, representando o governador Cid Gomes. Durante os três dias serão discutidos assuntos como modelo de gerenciamento dos estádios e arenas, práticas de negócios, quantidade de pessoal operacional, gramados e sustentabilidade para o Mundial. Também estavam presentes na abertura o diretor da FIFA no Brasil, Fúlvio Danilas; o Secretário-Executivo do Ministério do Esporte, Luís Fernandes; o integrante do Comitê Organizador Local da Copa (COL), ex-jogador Bebeto; a Diretora executiva do Comitê Organizador do Mundial, Joana Havelange e o presidente da Federação Cearense de Futebol (FCF), Mauro Carmélio.

Após dar boas vindas aos convidados, o secretário Ferruccio iniciou sua fala fazendo uma análise da importância de ter Fortaleza como uma das sedes da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014. “Esse é um evento que pode fazer o Ceará ser realmente conhecido no mundo. Esse é também um momento de alavancar a economia do nosso Estado”, analisou. Ele também destacou as ações que estão sendo desenvolvidas em nível estadual que serão imprescindíveis para garantir que a Arena Castelão seja  um equipamento referência de sustentabilidade, e que funcione como um legado para o povo cearense. “Não adianta um estádio de padrão internacional e que não tenha uma operação do mesmo nível”, destacou.

Sobre o Seminário de Operações de Estádios, Luís Fernandes classificou como mais um “passo na atuação da integração dos entes envolvidos, Governo Federal, Estadual, Municipal e colaboradores, em realizar o Mundial no Brasil”, disse. Ele ainda ressaltou que durante o evento vão ser levantadas questões de como é possível que todas as cidades sedes tornem seus equipamentos de jogos – Estádio e Arenas – sustentáveis do ponto de vista social e ambiental. Administradores das Arenas e também de estádios participantes das séries A e B do Campeonato Brasileiro estarão presentes no Seminário, juntamente com profissionais afim de promover a transferência de conhecimento e a troca de informações entre eles.

Em um segundo momento com a imprensa, onde estiveram presentes na coletiva o secretário Ferruccio Feitosa; o representante do Ministério do Esporte, Luís Fernandes, e o ex-jogador Bebeto, foram respondidas questionamentos como o legado que a Copa do Mundo no Brasil deixará para sua população, a manutenção e aproveitamento dos Estádios após o Mundial, questões relativas ao andamento das obras de mobilidade urbana e qualidade dos gramados dos 12 estádios que vão sediar os jogos.

Na ocasião, o secretário Ferruccio manisfestou o trabalho que vem sendo realizado a fim de que a Arena Castelão seja com certificação Leed, a maior certificação ambiental. “Uma série ações estão sendo executadas nas obras do Castelão que terminarão impactando positivamente no meio ambiente”, ressaltou. Segundo ele, o mesmo empenho vem sendo adotado pelo Governo do Estado para atender as exigências da FIFA no que diz respeito aos gramados. “Recebemos um manual sobre o gramado e drenagem e vamos seguir à risca o que foi pedido”, comprometeu-se. Segundo o ex-jogador Bebeto, a qualidade dos gramados é imprescindível para o sucesso do Mundial e o reconhecimento do Brasil como uma das melhores países à sediar uma Copa do Mundo. “A Arena como um todo é muito importante, mas o gramado é fundamental para o sucesso do espetáculo”, destacou.

Sobre obras de mobilidade que estão sob a responsabilidade do Estado, o secretário especial da Copa destacou a implantação do Metrô de Fortaleza, que somam três linhas (Leste, Oeste e Sul) e Ramal Parangaba-Mucuripe perfazem um total de 63 quilômetros de vias. Ele fez um comparativo ao Metrô de São Paulo que tem algo em torno de 73 quilômetros de linhas, mas com um volume populacional bem maior que o de Fortaleza. “Temos também uma diferencial em mobilidade, que são as quatro vias de acesso ao Castelão, uma delas com quatro faixas de trânsito”, destacou.  
Ferruccio Feitosa finalizou a coletiva lembrando a preocupação que o Governo do Estado teve em garantir que a reforma, ampliação e adequação do Estádio Castelão não sirva apenas para sediar os jogos do Mundial. “Sempre trabalhamos pensando em dar características para esse equipamento. Temos uma Parceria Público Privada com possibilidades bem mais ilimitadas de captação de eventos. A partir do próximo mês vamos funcionar no Castelão um espaço cultural com visitação para que a população crie um intimidade com o equipamento. No Castelão funcionamos com duas secretarias estaduais, com cerca de 600 servidores, e em breve devemos inaugurar um cinema nesse espaço. Isso garante que o Castelão seja usado diariamente. Além de cerca de 60 eventos futebolísticos que o Estádio pode sediar anualmente. Não vamos deixar em nada a desejar”, finalizou Ferruccio.

Ao longo dos três dias de evento acontecerão palestras e reuniões sobre o tema. Entre os palestrantes estão representantes do Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, do Mineirão, da Arena Fonte Nova e do Reliant Stadium, localizado em Houston, nos Estados Unidos. Cada sede da Copa do Mundo da FIFA será representada por oito profissionais ligados à área de operações de estádios. O seminário também terá a presença de quatro representantes da Copa do Mundo da FIFA 2018, na Rússia. Ao todo, 300 pessoas são esperadas no evento, que vai até quinta-feira (12).

 

10.07.2012

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado com informações da FIFA

Casa Civil ( comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898)