Condel: Planejamento estrutural é necessário para desenvolvimento do Nordeste

13 de julho de 2012

Com o objetivo de unir os estados do Nordeste respeitando as diferenças e desigualdades de cada um, o Conselho Deliberativo da Sudene (Condel) se reuniu, nesta sexta-feira (13), no Centro de Eventos do Ceará (CEC). De acordo com o governador Cid Gomes, anfitrião da 15ª reunião extraordinária, o desafio da Sudene é grande. “É preciso planejar de forma estrutural para desenvolver o Nordeste. Não seremos capazes de desenvolver uma região só por iniciativa de cada um, precisamos extrapolar as fronteiras individuais de cada estado. Não há melhor maneira de realizar isso do que com o trabalho da Sudene, através das reuniões do Condel”, afirmou.

A segunda reunião do Condel deste ano teve como principal tema a discussão do programa de aplicação do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), em que a projeção para a distribuição dos recursos de financiamento por porte de beneficiário ficou fixada em 25%, 5% ao menos do que a prevista pelo Banco do Nordeste (BNB). Para o Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, foi aberto um espaço para que todo o orçamento do FNE possa ser contratado e, com isso, a animar a economia regional. Segundo o ministro, “foi preciso definir uma colocação para que o BNB possa ter uma ação mais efetiva no que diz respeito a recuperação dos seus créditos, sobretudo para regularizar a situação dos pequenos empreendedores em todos os estados, sobretudo dos pequenos produtores rurais que vem enfrentando dificuldades e que precisam ter acesso ao crédito emergencial”.

O superintendente da Sudene, Luiz Gonzaga Paes Landim, afirmou que desde 2005, as taxas anuais de crescimento do Nordeste são superiores as do Brasil. “Apesar do crescimento superior, o Nordeste ainda tem participação reduzida. Precisamos unir os estados para que o Nordeste cresça a taxas ainda maiores e em alguns anos possa se igualar a participação na economia e no PIB do Brasil”, disse. Em 2010, o Nordeste chegou a crescer 10%, mas este ano a prerrogativa é de preservar a economia brasileira. Segundo o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, é fundamental incrementar a indústria no Nordeste e não só apostar no consumo para aumentar a economia. “Precisamos abrir caminho para financiamento público e investimentos público e privado, que é o que também mantem o FNE”.

Condel1Outro assunto discutido na pauta foi a criação do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE). “Foi uma grande conquista quando a Presidenta Dilma definiu pela financeirização do FDNE. O FDNE será mais importante ou tão importante quanto o FNE. As projeções que os técnicos do Banco do Nordeste e da Sudene fazem em relação a capitalização financeira do FDNE é para que no final de 2020 o saldo dos ativos do FDNE sejam equivalentes a do FNE. Portanto, nós vamos ter instrumentos mais valiosos para atrair investimentos privados na nossa região”, comemorou o ministro.

Durante a reunião, houve ainda sugestões de aprimoramento às ações da Sudene e uma exposição do Ministro Leônidas Cristino de um balanço das áreas que são importantes para o desenvolvimento regional: a infraestrutura portuária do Nordeste. “Na medida que o Nordeste cresce a sua participação na economia brasileira, cresce a sua presença no comércio internacional, é preciso qualificar e ampliar a infraestrutura portuária”, completou Fernando Bezerra.

Condel2O Condel ainda deve se reunir mais duas vezes este ano. Ao todo, são 25 conselheiros, que tem como presidente o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra. O Conselho é composto pelos governadores dos nove estados do Nordeste e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo; superintendente da Sudene, presidente do BNB, Confederação Nacional do Comércio, Confederação Nacional de Trabalhadores na Indústria, Associação Brasileira de Municípios, Confederação Nacional de Municípios, Frente Nacional de Prefeitos, Confederação Nacional, dos Trabalhadores no Comércio, Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária, Confederação Nacional da Indústria, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura.

Participaram da reunião os governadores Eduardo Campos (Pernambuco), Renato Casagrande (Espírito Santo), Rosalba Ciarlini (Rio Grande do Norte) e Ricardo Coutinho (Paraíba); o ministro-chefe da Secretaria Nacional dos Portos, Leônidas Cristino; o presidente interino do BNB, Paulo Ferraro; os deputados federais Mauro Benevides, José Guimarães e Danilo Fortes e mais representantes do Conselho.

 

13.07.2012

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

Casa Civil – 86 3466.4898