Cenas de amamentação são eternizadas em fotografias neste dia 1º

31 de julho de 2012

Na Semana Mundial do Aleitamento Materno, que vai de 1 a 7 de agosto, mães e filhos serão fotografados num dos momentos mais importantes da saúde e vida deles e delas também, o da amamentação. Os cliques serão feitos durante a abertura da semana, que a Secretaria da Saúde do Estado fará nesta quarta-feira (1º), às 8h30min, no Hospital Geral de Fortaleza. As fotografias irão direto para porta-retratos, que serão distribuídos com as mães ainda no evento da abertura, numa homenagem da Sesa às mulheres que alimentam seus filhos exclusivamente do leite materno, esbanjando saúde.

Dados da Sesa mostram que o leite materno traz saúde e vida  para as crianças. Na proporção em que o índice de aleitamento aumenta, a mortalidade infantil é reduzida. No Estado, chega a 71,14% o percentual de bebês acompanhados pelas equipes do Programa Saúde da Família (PSF) que são alimentados até quatro meses de vida somente com o leite materno. A Taxa de Mortalidade Infantil, que era de 32 por mil nascidos vivos no ano de 1997, ano em que o índice de aleitamento era menor, de 47%, foi reduzida para 13,1 em 2011. Segundo estudos do IBGE, o Ceará foi o Estado que mais diminuiu a mortalidade infantil no país.

“Amamentar hoje é pensar no futuro”

No tema da nova campanha “Amamentar hoje é pensar no futuro” o Ministério da Saúde mobiliza os estados e municípios para a importância do leite materno não apenas na fase infantil. Segundo texto do folder da campanha, puxada pela cantora e mãe pela primeira vez Vanessa Camargo e o filho José Marcus, “criança amamentada é criança bem alimentada e melhor preparada para crescer com mais saúde. “Amamente e alimente um futuro melhor para seus filhos”. Na amamentação, os bebês recebem os anticorpos da mãe para proteção contra infecções, principalmente diarreia e pneumonia. O leite materno diminui ainda alergias e obesidade.

A amamentar também é importante para a saúde da mulher. O sangramento após o parto é menor assim como os riscos de desenvolver anemia. A mulher também corre menos riscos de câncer de mama, ovário, e ainda de diabetes e infarto. Além da mulher, toda a rede familiar pode apoiar a amamentação.

 

31.07.2012

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 – 8733.8213)