Tempo de espera por transplante de córnea no Ceará cai para 6 meses

11 de dezembro de 2012

Em 15 anos, desde o início do funcionamento da Central de Transplantes da Secretaria da Saúde do Estado, o Ceará realizou 4.981 transplantes de córneas. Esse número representa 58,6% de todos os transplantes de órgãos e tecidos realizados no período, no total de 8.496, até o último dia 6. Em cinco anos, a partir de 2008, com 2.808 transplantes realizados, o Ceará superou o total de transplantes realizados nos 10 anos anteriores, de 1998 e 2007. Até 2008, o tempo de espera por um transplante de córnea era de quatro anos e meio. Atualmente, a espera é de seis meses. A projeção é de que, no primeiro semestre de 2013, o Ceará zere a fila de transplantes de córnea, assim considerada quando a espera não passa dos três meses.

Com esses números, o Banco de Olhos do Hospital Geral de Fortaleza, da Secretaria da Saúde do Estado, comemora o Dia Nacional do Doador de Córnea (13 de dezembro) na quarta-feira, 12 de dezembro, com a programação das homenagens começando às 15h30min. Fundado em 30 de Janeiro de 2006, o Banco de Olhos do HGF é único banco de tecidos oculares do estado do Ceará. O Banco de Olhos funciona 24 horas por dia, atuando em Fortaleza e ainda nas cidades de Sobral e Juazeiro do Norte. O Banco é credenciado pelo Sistema Nacional de Transplantes – dentro dos padrões da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e está subordinada a Central Nacional de Captação e Distribuição de Órgãos.

São 12 centros transplantadores de córnea no Ceará – nove em Fortaleza e mais três nos municípios de Barbalha, Juazeiro do Norte e Sobral. Há, ainda, 62 hospitais notificantes em todo o Estado. Neles são feitas as captações de córneas de doadores com morte encefálica e, também, com parada cardíaca, caso em que somente córnea, pele e osso podem ser doados. As córneas captadas alimentam o Banco de Olhos do HGF, maior transplantador do Ceará.

 

Nada por escrito

No Brasil, para se tornar doador de órgãos e tecidos não é necessário deixar nada por escrito em nenhum documento. Basta conversar com a família sobre o desejo de ser doador. A doação de órgãos só ocorre após o consentimento da família. É um ato pelo qual o doador manifesta a vontade de que, a partir do momento da constatação da morte encefálica, uma ou mais partes do seu corpo (órgãos ou tecidos), em condições de serem aproveitadas para transplante, possam ajudar outras pessoas.

Transplantes de córneas no Ceará

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012*

Total

83

104

179

114

182

241

318

311

247

394

473

441

460

795

639

4.981

* Até 6 de dezembro de 2012.

Fonte: CNCDO/CE

 

11.12.2012

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira/ Marcus Sá ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220/ 3101.5221 / 8733.8213)

Twitter: @SaudeCeara