Campanha vacina cães e gatos contra raiva até sábado (15)

14 de dezembro de 2012

Prossegue até este sábado, 15 de dezembro, a Campanha de Vacinação Antirrábica realizada pela Secretaria da Saúde do Estado e pelas secretarias municipais de saúde. Iniciada em nove de novembro, a campanha vacinou, até esta sexta-feira, 14 de dezembro, 1.249.655 cães e gatos contra a raiva, o que reflete 74,45% da meta (1.678.611 animais – 1.106.908 cães e 571.703 gatos). Dos 184 municípios cearenses, 107 (58,15%) já cumpriram a meta de imunização de 80% de cães e gatos, estabelecida pelo Ministério da Saúde. Os donos cães e gatos ainda não vacinados, dos municípios que atingiram ou não a meta de imunização, devem levar os seus animais para vacinar em um dos 3 mil postos distribuídos nos 184 municípios.

A raiva é uma doença viral que pode ser transmitida ao homem por mordida, lambida ou arranhão de um animal infectado, principalmente cães, gatos, saguis e morcegos. A taxa de letalidade entre humanos é próxima de 100%. Nos últimos oito anos, desde 2005, foram confirmados cinco casos de raiva humana no Estado. Desse total, quatro tiveram transmissão através de soins em São Luís do Curu, Camocim, Ipu e Jati. Os soins são animais silvestres, devem ser mantidos na mata. Em Chaval, o caso de raiva foi transmitido por um cão.

A melhor maneira de evitar a raiva em humanos é a prevenção. Além da vacinação dos animais domésticos, as secretarias de saúde dos municípios devem ser acionadas para capturar os animais de rua que podem portar a doença. Nas cidades, a presença de morcegos deve ser notificada aos departamentos de zoonoses. Em caso de cão raivoso, há uma mudança comportamental que chama bastante a atenção. Um cão dócil começa a atacar todas as pessoas sem motivo, rejeita inclusive a alimentação. Começa também a se esconder, parece desatento e, às vezes, não atende ao próprio dono.

A vacinação é a forma mais eficaz de prevenir a raiva em animais domésticos e evitar a transmissão para humanos. Não tem contraindicações. Os donos dos cães e gatos devem levar para vacinar os animais a partir dos três meses de vida, inclusive fêmeas prenhas, evitando vacinar animais doentes.

14.12.2012

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá
(selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220/ 3101.5221 / 8733.8213)
Twitter: @SaudeCeara