2012 consolida turismo como indutor do desenvolvimento do Ceará

7 de janeiro de 2013

O ano passado (2012) foi um ano que marcou a história da atividade turística no Ceará. Além de uma série de obras estruturantes inauguradas – Centro de Eventos (CEC), duplicação da CE 040 e início da duplicação da CE 085, aeroporto de Aracati, Teatro Carlos Câmara – pela Secretaria do Turismo (Setur), comemoramos ainda o fato de termos os destinos mais desejados pelos turistas, de acordo com pesquisas.

Segundo o site de pesquisas Google, a capital cearense figura como a terceira mais procurada entre os destinos turísticos do País, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro. O resultado aparece considerando as tendências de pesquisa de todo o ano de 2012.
Além desta, em outubro, uma pesquisa encomendada à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE/USP) pelo Ministério do Turismo (MTur), apontou Fortaleza como a capital que mais desperta interesse dos turistas para se conhecer. Dentre todos os destinos do País, ficou em segundo lugar, atrás apenas do arquipélago de Fernando de Noronha.

Para o secretário do Turismo, Bismarck Maia, o bom posicionamento do destino Ceará nestas aferições são resultado de um esforço para tornar o Estado uma referência na área, “por meio da qualificação de pessoas e de espaços, associada a uma promoção continuada e voltada para o consumidor final”, explica.

Alta estação com quase um milhão de turistas

Nesta alta estação, que se estende de dezembro de 2012 até fevereiro, 980 mil turistas devem vir ao Ceará, via Fortaleza. Isto representa uma alta de 7,02% com relação ao mesmo período de 2011. Os gastos per capita destes visitantes deve crescer R$ 110,00 (uma alta de 7,19%), gerando uma receita direta de R$ 1,607 bilhão e um impacto de R$ 2,812 bilhões na economia local.

Impacto no PIB passa de R$ 8 bi

Estes números tiveram altas constantes nos últimos cinco anos aferidos (2006 a 2011). O impacto do turismo na economia cearense ultrapassou a casa dos R$ 8 bilhões. Entre 2006 e 2011, a renda gerada a partir das atividades econômicas relacionadas ao turismo cresceu 83,9% (com média anual de 13%), passando de R$ 4,37 bilhões em 2006, para R$ 8,037 bilhões no ano passado.

A receita direta também evoluiu nos mesmos patamares percentuais, passando de R$ 2,5 bilhões para R$ 4,6 bilhões aproximadamente. Quanto à participação no Produto Interno Bruto (PIB) cearense, a variação foi de 17,1%, passando de 9,4% para 11%.

O setor hoteleiro também comemora a ampliação da demanda, que na capital, saltou de 1.082.274 para 1.560.327 no período – uma alta de 44,2%. Já a taxa média de ocupação dos meios de hospedagem passou de 57,4% para 67,6%. A oferta hoteleira (UHs) também foi ampliada, passando de 24.294 para 27.836, uma elevação de 14,6%.

Com mais dinheiro movimentado pelo setor, os empregos gerados também dispararam. Em 2006, eram 117.997 pessoas trabalhando formalmente no setor, ante 129.990 em 2011. Estes 11.993 profissionais a mais registrados representam alta de 10,2%.

Fluxo cresceu perto de 40%

Um dos principais responsáveis pelo incremento foi o número de turistas no Ceará, que teve um incremento de quase 800 mil pessoas.

Foram 2.062.493 em 2006 e 2.848.459 em 2011. No acumulado do período, o fluxo turístico cresceu 38,1%, com uma média anual de 6,7%.
“O ano de 2012 representou a consolidação do projeto implementado desde 2007, que identificou e priorizou o turismo como fator de desenvolvimento econômico e social”, diz, lembrando ainda que os projetos em curso e as capacitações de profissionais e empresários vão impulsionar ainda mais os resultados da atividade.

Bismarck também avalia que o Ceará vai se consolidar no cenário do turismo mundial com as copas das Confederações, em 2013, e do Mundo, em 2014. “Nosso trabalho é para manter o Ceará sempre no imaginário positivo das pessoas, e com a exposição proporcionada por esses eventos, com o contingente de imprensa do exterior que vamos ter aqui, exibindo nossos atrativos, vamos ter uma repercussão extremamente positiva. Até porque nosso trabalho não foi em função da Copa, foi todo um planejamento para transformar o perfil do turismo no Ceará”, explica.

CENTRO DE EVENTOS DO CEARÁ – CEC

O maior investimento sob responsabilidade da Setur, o mais moderno do gênero na América Latina e o segundo maior do Brasil, foi inaugurado em agosto de 2012. Custando R$ 580 milhões – incluindo quatro túneis de acesso – é responsável por uma mudança na cadeia econômica e por Ceará o setor do turismo de negócios, e já tem cerca de 80 eventos agendados para 2013.

Seu impacto no Produto Interno Bruto (PIB) estadual vai ser de 1%, além de gerar 87,6 mil empregos diretos na cadeia produtiva do turismo e provocar um aumento de R$ 318,3 milhões na massa salarial do Ceará, segundo o estudo “Impactos Econômicos da Operacionalização do Centro de Eventos do Ceará”, elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica (Ipece) em conjunto com a Coordenação de Destinos e Produtos Turísticos da Setur.

Com 76 mil m² de área útil, é divisível em até 44 espaços diferentes adaptáveis às necessidades dos organizadores, abrigando ao mesmo tempo eventos de diferentes tipos, portes e vocações.

Dividido em dois grandes blocos, compostos por salão de exposição divisível por meio de divisórias retráteis mais dois mezaninos com 18 salas modulares cada um, possui climatização e iluminação inteligentes, isolamento acústico; instalações elétricas e sistemas de sonorização ambiente, de comunicação e de telefonia.

AEROPORTOS

Uma das bases da estratégia de fortalecimento do turismo adotada pelo Governo do Estado é incentivar a malha aérea regional. Entre os diversos aeroportos regionais, destacam-se dois turísticos tocados pela Setur: Aracati, inaugurado em agosto de 2012, e Jericoacoara, cuja previsão de inauguração é o segundo semestre de 2013.

Aracati

Batizado de Aeroporto Dragão do Mar, o terminal de Aracati foi projetado para receber aviões de grande porte, que normalmente operam em voos internacionais – como por exemplo, a família Boeing737 – e recebeu em investimentos do Ministério do Turismo e Tesouro do Estado, R$ 23.746.467,94 na pista de pouso, área de taxiamento e hangares.

Lá, também vai funcionar o Centro de Tecnologia, Manutenção e Comercialização de Aeronaves e Prestação de Serviços Aeronáuticos da TAM Aviação Executiva. Este centro vai receber investimentos de R$ 26 milhões – sendo R$ 13 milhões em incentivos fiscais estatais – e empregar diretamente 150 pessoas na assistência técnica de aeronaves, helicópteros e jatos executivos, e deve ficar pronto em junho de 2013. Está prevista em contrato a priorização dos trabalhadores locais na contratação da mão de obra, introdução de tecnologia e formação de trabalhadores para o setor aéreo.

Jericoacoara

O maior aeroporto fora das capitais do Brasil poderá receber até 1,2 mil por ano e deve ser sua pista concluído ainda este ano. Com investimentos de aproximadamente R$ 56 milhões oriundos de empréstimo com o Banco Andino de Desenvolvimento (CAF), vai encurtar a viagem entre Fortaleza e a praia mais famosa do Ceará em cinco horas, passando das atuais seis horas necessárias por via terrestre para apenas uma hora. Mesmo recebendo este nome, o aeroporto vai ficar a cerca de 25 quilômetros da localidade, no município de Cruz, pois a praia é cercada pelo Parque Nacional das Dunas de Jericoacoara.

Pinto Martins

Em articulação com a Empresa de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o Governo Federal, foi captada a maior obra desta estatal: a ampliação do Aeroporto Internacional Pinto Martins, um investimento de R$ 337 milhões que fazer a capacidade de atendimento chegar a 11 milhões de passageiros por ano, enquanto atualmente é de 5,6 milhões.

Em reforma desde junho de 2012, o principal portão de entrada do Ceará vai ter a sua capacidade duplicada até 2017, passando a atender 11 milhões de passageiros anualmente. O terminal atual, entregue em 1998, recebeu 5,6 milhões de passageiros em 2011, enquanto foi projetado para atender a apenas 2,5 milhões.

Ao longo dos próximos cinco quatro e dividida em duas etapas (a primeira a ser entregue em dezembro e a segunda em fevereiro de 2017) a Infraero vai investir R$ 337 milhões na ampliação e modernização do Terminal de Passageiros (TPS), do Pátio Remoto de Aeronaves e do sistema de acesso acesso viário. Também serão ampliadas as áreas de serviços e construído um edifício garagem.

RODOVIAS

CE 085

Logo na primeira quinzena de janeiro, começam as obras de duplicação de dois trechos da CE 085 (Estruturante), rodovia que liga Fortaleza/Caucaia à Paracuru, no Litoral Oeste.

A duplicação deve durar 18 meses e compreenderá 63 quilômetros de extensão (incluindo os trechos I, II e III), com investimentos totais de R$ 80.474.382,52, cujos recursos são originários do Tesouro Estadual e de um financiamento junto ao Banco Andino (CAF).

CE 040

 

Já duplicada entre Fortaleza e Beberibe, a estrada que corta o Litoral Leste vai ter as obras de duplicação até Aracati estão em licitação e devem ser iniciadas no primeiro semestre de 2013.

Na etapa da duplicação entregue em fevereiro de 2012, entre Aquiraz (na altura da praia do Iguape) e Beberibe, foram investidos em 44,5 quilômetros R$ 93.990.474,84 oriundos do Tesouro Estadual, Ministério do Turismo (Mtur) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), através do Prodetur Nacional (Programa de Desenvolvimento do Turismo).

Segundo Bismarck, estas duas estradas (CE’s 040 e 085) “são marcos desta nova fase do Ceará, dando mais conforto, rapidez e segurança nas viagens, e interligando os destinos tanto do Litoral Leste, quanto do Oeste”.

CARLOS CÂMARA

O equipamento foi completamente reformulado e agora tem acesso direto para a rua Senador Pompeu – antes, a entrada era pela rua Dr. João Moreira, entre as lojas do Centro de Turismo. O projeto arquitetônico contemplou a acessibilidade (com elevador, rampas, piso tátil, corrimões e sanitários especiais) e aumentou por meio da verticalização, a capacidade na plateia, que passou de 250 para 368 lugares.

Também foram instalados mais dois pisos, um para a administração e cabine de som e luz, e outro, com café, varanda e sala multimídia.
O foyer, com pé direito duplo, tem salão para exposições e bilheteria. Também foram redimensionados o camarim e o palco principal, que passou a ter um proscênio de 8,4 metros de largura. A parte externa conta agora com praça e palco para apresentações ao ar livre.

O entorno do Centro de Turismo e do prédio histórico vizinho, onde está instalada a Santa Casa de Misericórdia, estão sendo valorizados com a desapropriação dos terrenos, liberando a vista para o mar. Ainda este ano, serão construídos estacionamentos e jardins com paisagismo.

O Teatro Carlos Câmara integra o complexo do Centro de Turismo (restaurado em 2010, quando a Setur investiu cerca de R$ 2 milhões na obra), e foi ampliado e reformado por R$ 8.671.634,29 oriundos do Tesouro e do Banco do Nordeste (Prodetur).

ACQUARIO

A obra iniciada em 2012 já tem as escavações e fundações prontas. A próxima etapa é a construção de um edifício-base de quatro andares, uma espécie de “esqueleto de concreto” onde vão estar dispostos os tanques de exibição, as salas e outros equipamentos complementares.

O Acquario Ceará é voltado para “edutenimento”, conceito que engloba educação e entretenimento, vai ser um ícone arquitetônico e turístico de Fortaleza. Localizado na Praia de Iracema, o Acquario vai demandar investimentos de US$ 150 milhões e tem previsão para ser inaugurado em 2014.

07.01.2013

Assessoria de Comunicação da Setur
Carmen Inês Matos Walraven/Tunay Peixoto
85 3101-4654/8732-2041