Cid Gomes autoriza o início de 42 obras dentro do Projeto São José III

18 de Abril de 2013

A manhã desta quarta-feira (18) foi marcada pela solenidade de assinatura de ordens de serviço pelo governador Cid Gomes, no auditório do Palácio da Abolição, referente a autorização do início de 42 obras de abastecimento d’água, dentro do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável (São José III). O evento contou com as presenças do secretário do Desenvolvimento Agrário, Nelson Martins e da gerente do Projeto São José III, Fátima Amazonas.

Na ocasião, foi assinado o termo de cooperação técnica entre o Governo do Estado e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura – IICA, que visa contribuir com a operacionalização do Projeto São José III, no valor de R$ 10,1 milhões; também foi assinada, junto à empresa Métrica, a ordem de serviço para a implantação de 07 sistemas de água nos municípios de Banabuiú, Mombaça, Icó, Orós e Quixadá, no valor de R$ 1,2 milhão e as assinaturas das ordens de serviço para a implantação de 20 sistemas de água (R$ 4,8 milhões) em Canindé, Morada Nova, Itatira, Boa Viagem, Itapiúna, Guaiuba, Redenção, Maranguape, Limoeiro do Norte, Jaguaribe, Ererê, Pereiro, Quixeré e Russas, e outros 15 sistemas de abastecimento de água em Parambu, Nova Russas, Monsenhor Tabosa, Independência, Quiterianópolis, Sobral, Pires Ferreira, Cariré, Camocim, Viçosa do Ceará, Santana do Acaraú e Miraíma, com investimentos de R$ 2,7 milhões.

O governador Cid Gomes destacou o esforço do Governo, na pessoa do secretário Nelson Martins, na busca pelo avanço e melhoria das comunidades rurais. Segundo ele, a SDA tem um desafio ousado, de melhorar as condições de vida e a renda do povo que ora nas comunidades rurais “Venho agradecer, de público, o desempenho do secretário à frente da SDA para uma concreta melhoria da qualidade de vida da população que mais precisa”, disse. Segundo Cid Gomes, a forma como se vem trabalhando é o pontapé para a realização de um antigo sonho. “O governo está estreitando as parcerias com o Banco Mundial para erradicar a pobreza com desenvolvimento rural e capacitação para os agricultores do Estado. É o início do sonho de formarmos uma classe média rural no semiárido cearense”, concluiu.

Cid destacou que, mesmo diante de situações emergenciais, deve-se ter um planejamento sério e organização. “É por conta de organização e planejamento que o Ceará é 4º maior investidor público do país, estando atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais”, informou. O governador destacou, como exemplo, o problema da produção de milho. “Até o final de maio, 30 mil toneladas de milho devem chegar de navio ao Ceará, o que corresponde a cerca de 700 caminhões. O milho será distribuído, respeitando toda uma logística de planejamento, o que deve equacionar o problema da produção”, afirmou.

Contudo, para Cid Gomes, o grande ganho para desenvolvimento rural do Estado virá com a obra de transposição do rio São Francisco, que abastecerá o Açude Castanhão, bem como alimentará o Cinturão das Águas, que levará água também para o Oeste do Estado, onde a situação é mais crítica.”As águas do rio São Francisco devem chegar ao Ceará ainda em 2014”, comentou.

Manoel Otero, representante do IICA, referiu-se ao Projeto São José III como uma ferramenta importante para o crescimento do meio rural. “Trata-se de um projeto que garante a inclusão produtiva de agricultores familiares, gerando renda e desenvolvimento para a zona rural. Vamos disponibilizar os nossos melhores técnicos nacionais e internacionais para viabilizar este projeto”, comentou. “Todas as comunidades que estão recebendo o Projeto vão receber água tratada e de qualidade, o que vai garantir mais qualidade de vida para essas famílias”, completou o secretário Nelson Martins.

De acordo com Fátima Amazonas, apesar das dificuldades que o Ceará passa com as fortes estiagens, “o Estado é um dos poucos do Nordeste com uma infraestrutura hídrica pronta, preparada para a universalização do abastecimento de água, que acontecerá até o final de 2014”, destacou.

 

O Projeto

O projeto São José III visa o desenvolvimento das comunidades rurais no interior do Ceará. O investimento total é da ordem de US$ 300 milhões, através do Banco Mundial junto ao Governo do Estado e a execução fica por conta da Secretaria do Desenvolvimento Agrário, com projetos de abastecimento d’água e de desenvolvimento rural sustentável, valorizando as cadeias produtivas da ovinocaprinocultura, apicultura, piscicultura, horticultura irrigada, cajucultura, mandiocultura, pecuária leiteira e artesanato.

Os editais para a seleção dos projetos produtivos que serão contemplados pelo Projeto São José III deverão ser lançados durante o mês de junho. Para o secretário do Desenvolvimento Agrário, Nelson Martins, o principal objetivo do Projeto São José III é trazer desenvolvimento para a zona rural. “Estamos permitindo ao homem do campo, se desenvolver onde ele nasceu, valorizando a agricultura familiar”, destacou.

A solenidade contou com a participação do deputado federal Domingos Neto; dos deputados estaduais Neto Nunes e Sineval Roque; da representante do Ministério Público, Eliane Nobre; dos secretários, da Fazenda, Mauro Filho e da Cultura, professor Pinheiro; da vice-procuradora Geral de Justiça, Eliane Nobre e do delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário no Ceará, Francisco Sombra, dentre outros.

 

18.04.2013

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado do Ceará

Casa Civil ( comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898)