Fórum discute segurança alimentar no uso do leite humano

15 de Maio de 2013

Os oito bancos de leite humano do Ceará distribuíram no ano passado 4.447,5 litros para 5.101 bebês prematuros e outras crianças que são clinicamente impossibilitados de receber leite do seio materno. Para discutir a segurança alimentar no uso do leite humano, a Secretaria da Saúde do Estado promove pela primeira vez no Nordeste o Fórum de Segurança Alimentar no Manuseio do Leite Humano, com a participação de 30 profissionais médicos, enfermeiros e nutricionistas dos bancos de leite humano e unidades neo-natais do Ceará. Formatado pela Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, o fórum será realizado com apoio da Rede Paulista de Banco de Leite Humano, quinta e sexta-feira, 16 e 17 de maio, das 8 horas às 17 horas, no hotel Mareiro, Avenida Beira Mar, 2380, Meireles.

Algumas mulheres quando estão amamentando produzem um volume de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano. De acordo com a legislação que regulamenta o funcionamento dos Bancos de Leite no Brasil, a doadora, além de  apresentar excesso de leite, deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente. Em 2012, os bancos de leite do Ceará receberam doações de 4.035 doadoras.

O leite humano é a alimentação ideal para todas as crianças. Por sua composição de nutrientes é considerado um alimento completo e suficiente para garantir o crescimento e desenvolvimento saudável do bebê durante os primeiros 2 anos de vida. É um alimento de fácil e rápida digestão, completamente assimilado pelo organismo infantil. O leite humano tem componentes e mecanismos capazes de proteger a criança de várias doenças. É fonte natural de lactobacilos, bífidobactérias e oligossacarídios. Nenhum outro alimento oferece as características imunológicas do leite humano.

A doação de leite humano é um ato voluntário de mulheres que estão amamentando. Elas doam aos bancos de leite humano o leite excedente para ser processado e distribuído com qualidade certificada a bebês hospitalizados, preferencialmente aqueles que nasceram prematuros e/ou com baixo peso. São crianças que ainda não podem ser alimentadas diretamente ao seio materno e suas mães nesse momento tem grande dificuldade de produzir e retirar o leite para os filhos. A necessidade de receber a doação de leite humano é constante nos bancos de leite. Este ano, desde janeiro, os bancos de leite do Estado distribuíram 977,4 litros para 942 bebês. As doações foram feitas por 1.001 mulheres.

Garantir a alimentação de recém nascidos internadas em hospitais públicos é a preocupação dos bancos de leite das unidades da Secretaria da Saúde do Estado. Na rede pública estadual, funcionam bancos de leite humano no Hospital Geral César Cals (HGCC), Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS) e Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Além de realizar a coleta, o processamento, o fracionamento e a distribuição do leite humano doado, os banco de leite humano ainda promovem e incentivam o aleitamento materno. Nos bancos de leite, as mães interessadas em doar recebem orientações sobre a retirada do leite e os cuidados com o acondicionamento. Para estocar, podem ser utilizados vidros de maionese ou café solúvel esterilizados. O leite deve ser conservado no congelador por até 10 dias. A coleta do leite doado é feita gratuitamente em domicílio.

Serviço:

Banco de Leite do Hospital Geral César Cals: 0800 286 5678

Avenida do Imperador, 545, Centro.

Banco de Leite do Hospital Infantil Albert Sabin: 0800-2804169
Rua Tertuliano Sales, 544-B. Vila União.

Banco de Leite Humano Hospital Geral de Fortaleza: 3101-3335
Rua Ávila Goulart, 900, Papicu.

15.05.2013

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira/ Marcus Sá ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221 / 8733.8213)

Twitter: @SaudeCeara

Facebook: www.facebook.com/saudeceara