Setor de Odontologia do HGF recebe premiação por pesquisa em ATM

17 de Maio de 2013

O Setor de Odontologia do Hospital Geral de Fortaleza conquistou premiação pelo melhor trabalho apresentado durante o seminário “Gestão e Avaliação de Tecnologias em Saúde: segurança do paciente”, realizado de 9 a 11 de maio último pela Secretaria de Saúde do Estado. Apresentado pelo aluno Inácio Parente, do Curso de Especialização em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial e orientado pelo Dr. Lécio Pitombeira, o trabalho premiado é resultante de pesquisa fomentada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento e Tecnologia (CNPq), em convênio com o HGF e Faculdades de Farmácia, Odontologia e Enfermagem da Universidade Federal do Ceará (UFC).

“A Avaliação de Tecnologias em Saúde é um processo de estudo sistemático das consequências clínicas, econômicas e sociais da utilização de tecnologias novas ou existentes, desde a sua pesquisa e desenvolvimento até a sua obsolescência”, diz o chefe do setor de Odontologia do HGF, Eliardo Silveira Santos, destacando o empenho dos profissionais do serviço de Cirurgia Bucomaxilofacial em apresentar sempre novas pesquisas para alcançar a excelência no serviço prestado ao público.

Sob o título “Reconstrução Total da Articulação Temporomandibular e Simultâneo Avanço Mandibular com Prótese Articular Personalizada Nacional: alterações cefalométricas, do espaço aéreo faríngeo, na dor e disfunção temporomandibular”, o trabalho define que os estados degenerativos severos da Articulação Temporomandibular (ATM) são decorrentes de traumas na mandíbula (acidentes automobilísticos, parto a fórceps), tumores na região de cabeça e pescoço, doenças autoimunes como Artrite Reumatóide, Artrite Psoríatica, Espondilite Anquilosante, Lúpus Eritematoso Sistêmico, Escleroderma, Síndrome de Reiter, além das más-formações congênitas como a Microssomia Hemifacial, Treacher-Collins e Pierre-Robin entre outras condições. Os pacientes geralmente apresentam graves quadros de Disfunção Temporomandibular como dor, limitação de abertura bucal, alterações na mordida como mordida aberta anterior e problemas estéticos devido a deficiência mandibular, além de obstruções respiratórias (Síndrome Apneia e Hipopneia Obstrutiva do Sono).

“Para a reconstrução da ATM é utilizada a tecnologia CAD-CAM, para se prototipar um modelo tridimensional do crânio e face do paciente, que é obtido a partir de uma tomografia computadorizada. Este biomodelo é utilizado como matriz para a personalização da prótese articular feita especificamente para a anatomia do paciente, com potencial de tanto reabilitar a ATM quanto avançar a mandíbula em procedimento cirúrgico único, propiciando benefícios funcionais, estéticos e respiratórios”, informa o médico Eliardo Silveira Santos.

 

16.05.2013

Assessoria de Imprensa do HGF

Vólia Rocha ( volia.richa@hgf.ce.gov.br / 85 3101.7086)