Dragão do Mar inaugura Escola Porto Iracema das Artes nesta quinta-feira (29)

28 de agosto de 2013

Com quase 15 anos de existência, o Dragão do Mar está passando pela sua primeira grande reforma e chega a 2013 implantando a Escola Porto Iracema das Artes – a escola de formação e criação cultural, que tem como objetivo formar profissionais para o mercado dos bens simbólicos. Na próxima quinta-feira (29), às 19 horas, o Governo do Estado inaugura o Porto Iracema das Artes, que funcionará na antiga sede da Capitania dos Portos. A programação iniciará com o descerramento da placa, seguida de visita às dependências da Escola e show dos cinco grupos selecionados para o Laboratório de Música.

Construído em uma área de 2184m², o prédio reúne, em dois pavimentos, oito salas de aula e três laboratórios. São cerca de 2060m² de área construída, sendo 1178m² no térreo e 882m² no piso superior. A estrutura contempla projeto de acessibilidade e contou com amplos investimentos na aquisição de equipamentos de ponta, que somam, aproximadamente, R$ 1.950.000.000.

A nova Escola resgata o projeto inicial do Dragão do Mar, concebido para atuar na difusão e na criação de manifestações artísticas e culturais, mas também de funcionar como um espaço especializado para formação de profissionais para o campo das artes. O Porto Iracema das Artes marca o retorno do Governo do Ceará à área de formação nos campos das artes, recuperando a experiência do Instituto Dragão do Mar, que na década de 90 tornou-se referência no país como um lugar para formação de profissionais para economia simbólica.

“A ideia do Porto Iracema das Artes recupera a experiência do Instituto Dragão do Mar numa nova perspectiva. A implantação da escola foi a prioridade definida pelo governador Cid Gomes, quando nos convidou para dirigir o novo projeto do Dragão do Mar. Temos a oportunidade de retomar esse projeto, que agora vem ampliado e reformulado”, observa Paulo Linhares, presidente do Instituto de Arte e Cultura do Ceará, que também esteve à frente do projeto do Instituto Dragão do Mar, nos anos 90.

O projeto do Porto Iracema das Artes tem como um dos objetivos centrais integrar jovens no campo do trabalho simbólico. “Para você produzir valor simbólico, você precisa de conhecimento. Precisa de formação nova, de ponta, de vanguarda e conhecimento, e é nisso que trabalharemos para ser referência. O campo cultural é hoje o maior nicho empregador de Fortaleza, além de oferecer aos jovens múltiplas oportunidades para o sonho. A indústria criativa, na nossa opinião, é este lugar de trocas”, observa Linhares.

A partir da oferta de cursos básicos, técnicos, laboratórios, workshops e masterclasses, a Escola Porto Iracema das Artes funcionará como um porto de novos talentos, um ponto de encontro e de efervescência artística na cidade, a partir do intercâmbio e da geração de processos criativos em áreas diversas, como dramaturgia, audiovisual (cinema, televisão, animação, jogos digitais e transmídia), artes visuais e multimídias, dança, música, artes cênicas, artes e design e gestão cultural.

O projeto pedagógico da Escola prevê quatro esferas formativas, que se articulam entre si, com vistas à construção de experiências de conhecimento norteadas pela invenção criativa e pelos atos estético e político de transformação.

A estrutura formativa é composta de:

 

Cursos Básicos, Cursos Técnicos, Laboratórios de Criação, Portos do Conhecimento e Cais do Porto.

Cursos Básicos: têm o objetivo de introduzir o aluno no mundo da produção cultural, para o desenvolvimento posterior de uma formação técnica e conceitual aprofundadas. A primeira oferta de 2013, serão oferecidos 41 cursos básicos, nas áreas do audiovisual, teatro, fotografia, edição, entre outros. Os Cursos Básicos começam no dia 03 de setembro, na nova sede.

Cursos Técnicos: visa proporcionar ao aluno uma qualificação capaz de garantir o ingresso mais rápido no mercado de trabalho. Em 2103, serão dois cursos técnicos: Dança e Games, envolvendo 70 alunos.

Laboratórios de Criação: são espaços de experimentação, investigação e desenvolvimento de projetos culturais, nas diversas linguagens, reunindo novos talentos e profissionais que já se encontram no mercado e que demandam atualizações técnica e conceitual. Com um processo seletivo bastante concorrido, os Laboratórios já iniciaram suas atividades formativas, nas áreas da Música, Pesquisa Teatral, Audiovisual para TV e Artes Visuais, com 60 participantes e 20 projetos em processo de aperfeiçoamento. Os laboratórios funcionarão em regime de imersão, através de processos formativos de excelência, desenvolvidos em torno de projetos previamente selecionados. Os alunos receberão orientação de grupos de consultores, que conduzirão a qualificação dos projetos, através de orientações individuais, oficinas, ateliês livres, palestras e workshops.

Portos do Conhecimento: lugar da troca de experiências estéticas entre os diversos processos criativos, eles serão realizados mensalmente, atendendo à demanda das diversas esferas formativas.

Cais do Porto: São espaços para receber projetos convidados, que dialogam com a proposta formativa do Porto Iracema das Artes. O primeiro projeto convidado é o Irradiar – projeto de formação de roteirista, concebido e realizado pelo cineasta Orlando Senna.

CONSELHO DA ESCOLA REÚNE INSTITUIÇÕES E PROFISSIONAIS DO CAMPO CULTURAL

O Conselho Consultivo da Escola, que tem como objetivo construir um canal de diálogo com atores importantes do campo cultural, como uma forma de construir propostas que contribuam para o fortalecimento das ações do Dragão do Mar e da cultura produzida no Ceará, será formado por instituições e profissionais do campo cultural brasileiro. Conta com nomes como o do ex-ministro da Cultura e atual Secretário de Cultura de São Paulo, Juca Ferreira; do Diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron; da Secretária de Educação do Ceará, Izolda Cela; dos cineastas Orlando Senna e Karim Aïnouz; do escritor Lira Neto; da executora do Projeto “Revelando Brasis”, Beatriz Lindemberg; dos jornalistas Xico Sá e Mario Magalhães, o biógrafo de Carlos Marighella, entre outros. A primeira reunião do Conselho Consultivo será às 15 horas, do dia 29, no Centro Dragão do Mar.

Segundo a Diretora de Formação e Criação do IACC, Bete Jaguaribe, a programação do Porto Iracema das Artes envolverá recursos da ordem de R$ 11 milhões, com uma oferta de 7.140 matrículas somente no segundo semestre de 2013.
De acordo com Paulo Linhares, esta é a oportunidade de mostrar ao Brasil e ao mundo o potencial criativo do cearense, oferecendo aos profissionais dessas áreas qualificação e atualização técnica e conceitual, de forma permanente.  “Com o Instituto Dragão do Mar experimentamos uma verdadeira ebulição no campo da formação e tivemos a satisfação de ter a experiência reconhecida nacionalmente, como uma das ações mais representativas da área. Para trazer de volta este ambicioso projeto, com vistas a alcançar o prestígio internacional, estamos contando com a colaboração dos mais reconhecidos profissionais de cada campo artístico”, afirma o diretor-presidente do IACC.

Para o campo do audiovisual, por exemplo, foram convidados nomes como Sérgio Machado, Karim Aïnouz, Marcelo Gomes e Daniela Capelato, tutores do Centro de Narrativas Audiovisuais – CENA 15, anexo com cerca de 940m² que também integrará a Porto Iracema das Artes, para a realização de encontros formativos que objetivam a profissionalização da construção de formas de narrar. “O CENA-15 será um centro de excelência em linguagem e elaboração de roteiros. Nós queremos profissionalizar aqui no Ceará o ofício de contar histórias, um saber ainda muito insipiente”, afirma Linhares.

Segundo o presidente, apesar dos bons cursos que têm surgido na área e do potencial local, o campo do audiovisual no Ceará ainda apresenta um déficit considerável em relação à produção textual. As experiências já foram iniciadas na sede inaugurada no último sábado (24), na Rua José Avelino, 495, com o lançamento de diversos programas.

TEMPOS DE BARRAVENTO

Nesse período de pré-lançamento das atividades formativas, definido por Paulo Linhares como “Barravento”, em alusão ao filme de Glauber Rocha, foram realizadas inúmeras atividades. Na película, o termo é utilizado para designar um “momento de violência, quando as coisas de terra e mar se transformam, quando no amor, na vida e no meio social ocorrem súbitas mudanças”, uma definição que, de acordo com o presidente, representa bem a chegada da Escola e a ebulição criativa que ela começa a gerar.

A primeira onda do “Barravento” iniciou com a fase de seleção dos 04 Laboratórios de Criação, com inscrições encerradas em julho, para as áreas de Audiovisual para TV, Teatro, Artes Visuais e Música.  Segundo a Diretora Bete Jaguaribe, os laboratórios serão espaços de experimentação de produtos culturais em linguagens diversas, que visam reunir profissionais já atuantes no mercado de trabalho, mas que necessitam de atualização, seja ela técnica ou conceitual. A partir de 20 projetos previamente selecionados, os grupos devem trabalhar em regime de imersão, sob orientação de grupos de consultores que conduzirão a qualificação, com atendimentos individuais, oficinas, palestras e workshops. Um total de 60 vagas foram disponibilizadas, com direito a bolsa de estudos.

Também constituíram essa programação inaugural três masterclasses do Laboratório de TV, onde profissionais de criação e/ou produção de séries para televisão ou de linguagem audiovisual para cinema e TV, com foco em obras de ficção, se encontraram com os autores-realizadores dos 05 projetos selecionados de séries para TV, para debater questões acerca de roteiro, produção, estrutura de séries de TV.

No dia 9 de agosto, às 19h, no Espaço Multiuso, foi realizada ainda uma edição do projeto “Conversações Teatrais”, projeto do Laboratório de Pesquisa Teatral que promoveu o intercâmbio de saberes entre os debatedores e o público, através dos relatos de experiências e de ações que repensam diversas questões contemporâneas do teatro brasileiro.

Também foram encerradas, no dia 22 deste mês, as inscrições para os Cursos Básicos e o Curso Técnico de Dança. Com o objetivo de introduzir o aluno no mundo da produção cultural, os Cursos Básicos serão desenvolvidos a partir de conteúdos modulares nas áreas de audiovisual e música, artes cênicas, artes visuais e multimídias. Já o curso técnico de dança objetiva qualificar e habilitar profissionais em nível técnico para o exercício da função de bailarino e desempenho de atividades ligadas à dança, segundo os Referenciais Curriculares Nacionais de Educação Profissional.

Através do Porto Iracema das Artes, o Dragão do Mar diversifica sua atuação. Como aponta o criador de ambos os projetos, Paulo Linhares frisa que os dois equipamentos não são independentes. O gestor afirma que a Escola funcionará como “um braço de formação do Dragão”, desde a sua concepção pensado para ser um centro difusor, mas também fomentador de criação e formação no âmbito da arte e da cultura.

Para saber mais sobre os cursos ofertados e para efetuar inscrições no Porto Iracema das Artes, o interessado deve acessar o site www.inscricoesportoiracema.com.br.

ESCOLA PORTO IRACEMA DAS ARTES APRESENTA SEU CONSELHO CONSULTIVO

No próximo dia 29, quinta-feira, será inaugurada a Escola Porto Iracema das Artes, que nasce com o desafio de resgatar a plenitude do projeto original do Centro Dragão do Mar, pensado como um lugar de criação, formação e difusão de cultura. O Porto Iracema das Artes tem como objetivo funcionar como um fértil porto de experiências estéticas, um ancoradouro de ideias e pensamento, um lugar de trocas e de partilhas simbólicas.

A Escola conta com a formação de um Conselho Consultivo formado por personalidades do campo cultural brasileiro. O Conselho será composto por:

•             Antônio Grassi

Ex-presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes). Foi secretário de Cultura do Estado do Rio de Janeiro e Presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Atualmente é Diretor Executivo Adjunto do Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico – Inhotim.

•             Beatriz Lindenberg

Fundadora do Instituto Marlin Azul. Atua na gestão de projetos culturais de formação, produção e difusão audiovisual. Coordenadora geral do projeto Revelando os Brasis, criadora do Projeto Animação e do Núcleo Animazul.

•             Dellano Rios

Editor- Chefe de Cultura do jornal Diário do Nordeste. Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal do Ceará (2004) e mestre em Sociologia pela mesma Universidade.

•             Eduardo Saron

É Diretor do Itaú Cultural. Membro da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura, como representante da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

•             Leonel Kaz

Curador do Museu do Futebol / SP – Instituto da Arte do Futebol Brasileiro.

•             Fausto Nilo

Cantor e compositor. Arquiteto – formado pela Universidade do Ceará – UFC e entre seus projetos, se destaca o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

•             Felipe Araújo

Editor – Chefe de Cultura do jornal O Povo

•             Isabel Lustosa

Escritora Brasileira. Doutora em Ciência Política pelo IUPERJ. Pesquisadora da Casa de Rui Barbosa (RJ). Também dirigiu a área de pesquisa do Museu da República (1989/1990) e trabalhou no Patrimônio Histórico (1991/1992).

•             Izolda Cela

Secretária da Educação do Estado do Ceará. É Graduada em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará.

•             Sérgio Burgi

Coordena a área de fotografia e a Reserva Técnica Fotográfica do Instituto Moreira Salles (IMS), principal instituição voltada para a guarda e preservação de acervos fotográficos no Brasil. Foi coordenador do Centro de Conservação e Preservação Fotográfica da Fundação Nacional de Arte, FUNARTE, no Rio de Janeiro, entre 1984 e 1991. É membro do Grupo de Preservação Fotográfica do Comitê de Conservação do Conselho Internacional de Museus (ICOM).

•             Jesualdo Farias

Reitor da Universidade Federal do Ceará – UFC, mas já desempenhou as funções de chefe de Departamento, Coordenador de Curso de Pós-Graduação, Vice-Diretor de Centro, Diretor de Centro e Vice-Reitor da mesma Universidade.

•             João Alegria

Gerente de Programação, Jornalismo e Engenharia no Canal Futura, na Fundação Roberto Marinho. Atua também como professor colaborador no Curso de Artes e Design da PUC-Rio, onde está ligado ao desenvolvimento de projetos em Mídias Digitais.

•             Juca Ferreira

Ex-ministro da Cultura e atual Secretário de Cultura de São Paulo.

•             Lino Villaventura

Estilista. Figurista de cinema e teatro. Entre outros, fez os figurinos do filme Bocage, o Triunfo do Amor, e da peça teatral Dorotéia, uma Farsa Irresponsável em Três Atos, de Nelson Rodrigues, que lhe valeu uma indicação ao Prêmio Shell de Teatro de 1996.

•             Lira Neto

Jornalista. Duas vezes vencedor do Prêmio Jabuti na categoria biografia. Escreveu, entre outros livros, as biografias de Getúlio Vargas (o primeiro tomo  lançado em 2012), Padre Cícero (Companhia das Letras, 2009), Maysa (Globo, 2007), O Inimigo do Rei (Globo, 2006) e Castello (Contexto, 2004).

•             Magela Lima

Secretário de Cultura de Fortaleza. Jornalista formado pela Universidade Federal do Ceará, tem mestrado em Teatro pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

•             Mário Lúcio

Multi- instrumentista e arranjista de vários álbuns de solistas caboverdeanos. Fundador e Diretor da Associação Cultural Quintal da Música. Compositor, membro da SACEM (Societé française des Droits d’auteur), com temas gravados por Cesária Évora e outros artistas caboverdeanos.

•             Mário Magalhães

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. É autor da biografia “Marighella – O guerrilheiro que incendiou o mundo”. Trabalhou nos jornais “Folha de S. Paulo”, “O Estado de S. Paulo”, “O Globo” e “Tribuna da Imprensa”. Recebeu mais de 20 prêmios.

•             Adélia Borges

Jornalista formada pela Escola de Comunicações de Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Atua na imprensa desde 1972, tendo trabalhado em veículos como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Fundação Carlos Chagas, TV Globo, TV Cultura, entre outros. Foi editora de design e colunista do jornal Gazeta Mercantil, entre 1998 e 2001. É autora ou co-autora de mais de 10 livros, entre eles “Designer não é personal trainer”, da Editora Rosari.

•             Orlando Senna

Cineasta, escritor, jornalista. Repórter e comentarista de política internacional, atuou na América Latina, África e Europa. Foi diretor da Escola Internacional de Cinema e Televisão de San Antonio de lós Baños, da qual é um dos fundadores, e do Instituto Dragão do Mar de Arte e Indústria Audiovisual do Ceará. De 2003 a 2007 foi Secretário Nacional do Audiovisual.

•             Danilo Miranda

É sociólogo, diretor do Departamento Regional do Servico Social do Comércio (Sesc) no Estado de São Paulo. Especialista em ação cultural, tem formação em Filosofia e Ciências Sociais, com especialização em gestão empresarial no International Institute for Management Development (IMD), na Suíça.

•             Peter Gasper

Um dos pioneiros do lighting design brasileiro. Iniciou sua vida profissional como cenógrafo de teatro, televisão e cinema. A vontade de estudar iluminação veio nos anos 1970, quando ele percebeu que a luz poderia ser uma ferramenta para a cenografia, uma aperfeiçoando a outra. Hoje Gasper atua também iluminando obras arquitetônicas, com destaque para as de Oscar Niemeyer.

•             Prof. Pinheiro

Secretário da Cultura do Estado do Ceará. Ex-vice governador do Ceará, durante a primeira gestão Cid Gomes. Como vereador de Fortaleza, Pinheiro foi líder da Câmara Municipal de Fortaleza. É graduado em História, na Universidade Federal do Ceará; especialização em História da Igreja na América Latina, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; mestrado em História Social na Universidade Federal de Pernambuco e doutorado em História Social, na mesma Universidade.

•             Ricardo Resende

Diretor geral e divisão de curadoria e programação do Centro Cultural de são Paulo. De março de 2005 a março de 2007, foi diretor do Museu de Arte Contemporânea do Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza, no Ceará. Mestre em História da Arte pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP), tem carreira centrada na área museológica.

•             Roberto Cláudio

Prefeito de Fortaleza Já foi Deputado Estadual e Presidente da Assembléia Legislativa do Ceará. É médico-sanitarista, formado pela Universidade Federal do Ceará, com mestrado e PhD em saúde pública pela Universidade do Arizona (EUA).

•             Silvana Meireles

Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte da Fundação Joaquim Nabuco – FUNDAJ. Graduada em Engenharia Eletrônica com especialização em Políticas Culturais.

•             Tiago Santana

É diretor do IFOTO – Instituto da Fotografia em Fortaleza, Ceará – BRASIL. Atualmente desenvolve projetos editoriais na Editora Tempo d’Imagem em São Paulo-SP e Fortaleza-CE. Atua desde 1989, como fotógrafo profissional trabalhando com fotografia documental. Fundador da Editora Tempo d’Imagem (1994), editora especializada em livros de fotografia.

•             Xico Sá

Atualmente é colunista da Folha de S. Paulo, participa do programa Saia Justa, da GNT e Cartão Verde, da Cultura. Estreou recentemente o blog “Xico Sá: o cronista, o repórter, o homem, o mito, a fraude”, no site da Folha. Já colaborou com a revista Trip e foi apresentador da MTV. É autor de uma dezena de livros, dentre os quais Divina Comédia da Fama e Modos de Machos & Modinhas de Fêmea.

•             Karim Aïnouz

Cineasta e roteirista cearense. Bacharel em Arquitetura e urbanismo pela Universidade de Brasília (1988), tem mestrado em Teoria e História do Cinema pela New York University (1991). Trabalhou como curador, assistente de direção e assistente de montagem em vários projetos, como Veneno (1994), de Todd Haynes, e Arizona dream (1993), de Emir Kusturica. Em 2005, colaborou nos roteiros de Cidade Baixa, de Sérgio Machado e Cinema, Aspirinas e Urubus, de Marcelo Gomes. Seu longa-metragem de estreia, Madame Satã (2002), foi selecionado para a mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes e, em seguida, premiado nos festivais internacionais de Chicago (EUA) e Huelva (Espanha).

•             Irlys Barreira

É professora Titular de Sociologia do PPGS da UFC, pesquisadora 1 B do CNPq e líder do Grupo de Pesquisa Lideranças, representações e práticas políticas do Diretório de Pesquisa do CNPq. Tem doutorado na USP e Pósdoutorado na École des Hautes Études en Sciences Sociales (Paris) e no Instituto de Cências Sociais ICS da Universidade de Lisboa. Tem como campo de investigação experiência nas áreas de Sociologia, com interfaces nas áreas de antropologia e política, atuando principalmente nos seguintes temas: cidade, política, cultura, gênero e movimentos sociais.

•             Tarcísio Pequeno

Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza. Professor titular da Universidade de Fortaleza, é formado em Engenharia Civil pela UFC, com Mestrado em Ciência da Computação pela PUC do Rio de Janeiro e Doutor em Teoria da Programação, também pela PUC/Rio e Universidade de Waterloo, no Canadá. Pós-Doc no Imperial College de Londres.

•             Regina Leitão

Diretora Regional do Serviço Social do Comércio (SESC Ceará). Graduada em Ciências Sociais pela UFC. Tem MBA em APG: Gestão Avançada pelo Grupo AMANAKEY e em Gestão Social pela Fundação Getúlio Vargas. Doutoranda em Turismo, Lazer e Cultura pela Universidade de Coimbra – Portugal.

•             Fátima Veras

Reitora da Universidade de Fortaleza (Unifor).

•             Aderbal Freire

Diretor, ator e dramaturgo.

•             Élcio Batista

Coordenador Especial de Políticas Públicas de Juventude da Prefeitura de Fortaleza. Possui graduação em Ciências Sociais e mestrado em Sociologia pela UFC. Trabalhou na gestão de Organização Não-Governamental entre 2004 e 2008. Tem larga experiência na gestão e ensino de Instituições de Ensino Superior Públicas e Privadas. Pertenceu a Unidade de Gerenciamento de Programa UGP do Banco Interamericano de Desenvolvimento BID/ Prefeitura Municipal de Fortaleza. Atuou na elaboração e execução de projetos do Grupo de Comunicação O Povo, foi apresentador e debatedor de programas de televisão na TV O Povo e Rádio O Povo/CBN. Trabalhou como Coordenador de gestão do Instituto de Estudos e Pesquisas para o Desenvolvimento do Estado do Ceará INESP e foi secretário executivo da Academia Estadual de Segurança Pública – CE. Atualmente, é pesquisador do Laboratório de Estudos da Violência-LEV/UFC/INCT, cursando o Doutorado no Programas de Pós-Graduação em Sociologia.

 

28.08.2013

Assessoria de Comunicação do IACC
Luciana Vasconcelos – (85) 3488.8625