Ibama concede licença para obras de ampliação do Porto do Pecém

28 de agosto de 2013

O Terminal Portuário do Pecém, localizado no município de São Gonçalo do Amarante, terá suas obras de ampliação liberadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) por meio da Licença de Instalação para as obras de expansão do seu Terminal de Múltiplo Uso (TMUT).As obras de expansão darão maior suporte às operações com carga geral, especialmente com produtos de siderurgia. Os serviços, já licitados, receberão um investimento da ordem de R$ 568 milhões. A Licença Prévia para a obra foi expedida pelo Instituto em junho deste ano.

A nova ampliação deverá atender aos futuros empreendimentos previstos para o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), a Companhia Siderúrgica do Pecém – em implantação – , e as necessidades da Ferrovia Transnordestina, com trecho até o Pecém. As obras realizadas no porto são considerados fundamentais para o desenvolvimento do Estado. O consórcio Marquise/QG/Ivaí – vencedor da licitação da obra em 2011- será o executor das obras num prazo de 30 meses a contar da data de assinatura da Ordem de Serviços pela Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra).

Nesta segunda etapa da expansão o terminal portuário receberá uma nova ponte de acesso ao quebra-mar existente com 1.520 metros de extensão, pavimentação de 1.065 metros sobre o quebra-mar; a ampliação do quebra- mar em cerca de 90 metros; o alargamento em cerca de 33 metros da ponte; a construção de 600 metros de cais com dois berços de atracação de navios cargueiros ou porta-contêineres. Estes últimos equipamentos serão voltados para operação com carga geral e produtos da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e da ferrovia Transnordestina. Está prevista também a ampliação do pátio da retro-área de   aproximadamente 69.000 metros quadrados.

Os dois berços de atracação serão voltados para a exportação de placas   da siderúrgica, enquanto a Ferrovia Transnordestina utilizará provisoriamente TMUT, cuja primeira etapa já foi entregue, até ter o seu próprio terminal. O secretário da Infraestrutura do Estado, Adail Fontenele, vê como fundamentais os investimentos no terminal portuário para fomentar a captação de empreendimentos de grande porte para o Estado, os quais resultarão em impactos positivos na economia estadual.

Primeira expansão

A primeira etapa de expansão do porto aconteceu em 2011, com a construção do TMUT, composto por dois berços, para atender navios porta-contêiner; ampliação do quebra-mar para mil metros; e o prolongamento da ponte existente, de 348 metros. O investimento foi de R$ 410 milhões. Com isso o Terminal ficou apto à receber a crescente demanda de movimentação de contêineres e carga geral, reafirmando sua vocação como porto concentrador de cargas e mantendo a sua consolidação de maior exportador de frutas e calçados do país. A capacidade estimada de movimentação de contêineres foi ampliada de 250.000 TEUS/ano para 760.000 TEUS/ano. Um TEUS equivale um contêiner de 20 pés de capacidade.

28.08.2013

Assessoria de Comunicação da Seinfra
Marco da Escóssia
Luiz Guedes
(85)3216.3763/65
@seinfrace (Twitter oficial da Secretaria da Infraestrutura do Estado)