Quando a chuva passa é hora de limpar o quintal e evitar dengue

11 de Março de 2015

As dez maiores chuvas em cada um dos três primeiros dias da semana – domingo, segunda e terça-feira, 8, 9 e 10 de março – ocorreram em 23 municípios, segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Desses 23 municípios, 13 têm casos confirmados de dengue, cinco têm casos suspeitos notificados, e cinco não têm casos confirmados ou notificados da doença, conforme o boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado, publicado na sexta-feira, 6 de março. Com o aumento das chuvas, além do cuidado com potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti dentro de casa, as famílias devem ter preocupação redobrada com focos do mosquito transmissor que se formam fora de casa, em garrafas, depósitos, recipientes, pneus e até brinquedos de crianças deixados no quintal, e no lixo descartado de forma inadequada.

Para controlar a proliferação do mosquito que transmite a dengue e, também, a febre Chikungunya, a orientação é manter os quintais sempre limpos, recolher, eliminar ou guardar longe da chuva todo objeto que possa acumular água, como pneus velhos, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas, copos descartáveis e até cascas de ovos. O lixo doméstico deve ser acondicionado em sacos plásticos e descartado adequadamente, em depósitos fechados. Depois da chuva, é recomendado fazer a vistoria no quintal e na casa para eliminar a água acumulada sobre lajes, calhas, tanques, pratinhos de vasos de planta. Com as chuvas, aumenta a formação de criadouros do Aedes aegypti fora de casa, mas deve-se manter o cuidado também dentro de casa. Baldes, potes, quartinhas, bacias, camburões e outros recipientes que guardam a água de beber e para outros usos domésticos, assim como a caixa d’água, devem ser mantidos limpos e fechados para evitar o risco de proliferação do mosquito.

A fêmea do mosquito transmissor deposita os ovos em criadouros com água limpa e parada. Para impedir a desova, é fundamental eliminar todos os potenciais focos. Os ovos são depositados nas paredes do criadouro, bem próximo à superfície da água, porém não diretamente sobre o líquido, onde o ovo pode permanecer grudado. Em condições ambientais favoráveis, após a eclosão do ovo em água limpa, o desenvolvimento do mosquito até a forma adulta pode levar um período de 10 dias. Por isso, a eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana. Assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido. Com essas ações o mosquito não vai encontrar água para se reproduzir e, assim, continuar transmitindo a dengue. Este ano o Ceará tem, até o dia 3 de março, 1.195 casos confirmados da doença em 54 municípios.

Municípios com maiores chuvas nos dias 8, 9 e 10 de março

Com casos confirmados
de dengue

Com casos suspeitos
de dengue

Sem casos suspeitos ou confirmados de dengue

Fortaleza

Lavras da Mangabeira

Senador Sá

Maranguape

Bela Cruz

Fortim

Pacatuba

Pindoretama

Icapuí

Maracanaú

Barro

Salitre

Caucaia

Guaramiranga

Moraújo

Eusébio

Horizonte

Arneiroz

Aracati

Beberibe

Pacajus

São Gonçalo do Amarante

Barreira

Fonte: FUNCEME – NUVEP/COPROM/SESA

11.03.2015

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara