Atividade na Praça do Ferreira lembra vítimas de acidentes de trabalho

27 de Abril de 2015

Terça-feira, 28 de abril, é o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho. Em Fortaleza, a Secretaria da Saúde do Estado, em parceria com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), Universidade Federal do Ceará (UFC), sindicatos de trabalhadores e centrais sindicais realizam uma manhã de atividades na Praça do Ferreira para prestação de serviços e orientações nas áreas da saúde, jurídicas, previdenciárias e de segurança no trabalho. Das 8 às 12 horas serão oferecidos ao público serviços de vacinação, aferição de pressão arterial, cadastramento de doador de medula óssea e massoterapia. Haverá, ainda, emissão do Cartão Nacional de Saúde (CNS) e da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

A celebração do dia de 28 de Abril – Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e doenças do Trabalho – surgiu no Canadá, por iniciativa do movimento sindical, como ato de denúncia e protesto contra as mortes e doenças causados pelo trabalho, espalhando-se por diversos países. Esse dia foi escolhido em razão de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, no ano de 1969. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), os acidentes de trabalho são a causa da morte de mais de dois milhões de trabalhadores no mundo por ano. São três pessoas que morrem a cada minuto devido a condições impróprias de trabalho. Os setores que apresentam menores condições de segurança em todo o mundo, inclusive no Brasil, são a agricultura, a construção civil e a mineração.

Conforme o último Anuário Estatístico da Previdência Social, lançado em janeiro de 2015 e referente a 2013, foram registrados, naquele ano, 717.911 acidentes de trabalho no Brasil. As ocorrências resultaram em 2.792 mortes. No Ceará aconteceram no mesmo ano 13.465 acidentes de trabalho, terceiro maior número do Nordeste, depois da Bahia, com 21.525 ocorrências, e Pernambuco, 20.483 registros. Outro estudo da Previdência Social, divulgado na quinta-feira, 23 de abril, aponta que as mulheres são mais vulneráveis a doenças causadas pelo trabalho. Entre 2004 e 2013, enquanto os vínculos empregatícios tiveram um crescimento de 79% entre as mulheres, a concessão de auxílio-doença acidentário cresceu 172% entre as trabalhadoras. Entre os homens, o emprego assalariado cresceu 53% – durante o mesmo período – enquanto a concessão do auxílio-doença acidentário cresceu pouco mais de 60%.

CEREST

Em 2005 começaram a ser implantados no Ceará os Centros de Referência em Saúde do Trabalhador. Os Cerests dão subsídio técnico para o SUS nas ações de promoção, prevenção, vigilância, diagnóstico, tratamento e reabilitação em saúde do trabalhador. No total, são nove Cerests em todo o Ceará. O Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador é a unidade da Secretaria da Saúde do Estado referência no diagnóstico de doenças relacionadas ao trabalho. Possui uma equipe multiprofissional, que presta atendimento especializado aos trabalhadores acometidos por doenças e/ou agravos relacionados ao trabalho. Além disso, promove capacitação da Rede SUS, desenvolve projetos e pesquisas, organiza informações e subsidia ações de vigilância, com a finalidade de estruturar a rede de atenção à saúde do trabalhador no Estado.

27.04.2015

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá /  ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias
(85) 9922.2712

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br 
(85) 3466.4898