Mortalidade materna no Ceará em 2014 é a menor desde 1998

29 de Maio de 2015

Dados atualizados até esta quinta-feira (28), mostram sensível redução da mortalidade materna no Ceará em 2014. A Razão de Mortalidade Materna (RMM) diminuiu em 26,8%, com redução de 82,5 óbitos por 100 mil nascidos vivos em 2013 para 60,4 no ano passado. Em números absolutos, o total de óbitos maternos por causas obstétricas em 2014 foi de 77 mortes em 54 municípios. Nos últimos anos esse número foi de 87 óbitos maternos em 2011, 115 em 2012 e, em 2013, de 109. Os indicadores estão no informe epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado no Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna – 28 de maio. Foram notificados no ano passado 2.534 óbitos de mulheres em idade fértil e investigados 77,1%.

Entre 1998 e 2014, período do estudo realizado pela Secretaria da Saúde do Estado, foram confirmadas 1.802 mortes maternas por causas obstétricas diretas e indiretas, com média da RMM de 78,1, número considerado alto segundo parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS). Os maiores indicadores no período foram registrados nos anos de 1998 (93,7) e 2012 (90,6) e os menores em 2006 (66,7) e 2014 (60,4). No Brasil, estudo realizado pelo Ministério da Saúde mostra que a Razão da Mortalidade Materna passou de 143 por 100 mil nascidos vivos em 1990, para 70 em 2010. A redução de 51% é “notável”, segundo o estudo, mas diminuir ainda mais esse índice é um desafio, uma vez que a morte de mulheres por causas relacionadas à gravidez, aborto, parto e puerpério são quase sempre evitáveis.

Fórum nesta sexta (29)

Com o objetivo de mobilizar a sociedade e fortalecer as ações para a redução da mortalidade materna, a Secretaria da Saúde do Estado realiza nesta sexta-feira (29), a VII Reunião do Fórum Estadual da Rede Cegonha, no Auditório José Euclides Ferreira Gomes, 6º andar do Anexo II da Assembleia Legislativa, a partir das 8h30min. Com o tema “Redução da morte materna: Nós podemos!”, o encontro reúne prefeitos, gestores e técnicos das secretarias estadual e municipais de saúde, diretores e profissionais de hospitais e maternidades, representantes do Ministério Público, Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Ministério da Saúde e Unicef.

No Ceará, a Rede Cegonha tem os serviços integrados em 17 Redes nas 22 regiões de saúde. É um programa do Ministério da Saúde que tem o objetivo de atender todas as brasileiras pelo Sistema Único de Saúde (SUS), desde a confirmação da gestação até os dois primeiros anos de vida da criança.  É uma Rede de cuidados que assegura às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo, à atenção humanizada à gravidez, parto e puerpério e, às crianças, o direito ao nascimento seguro, crescimento e desenvolvimento saudáveis. No ano passado, o Comitê Estadual de Prevenção à Mortalidade Materna, Infantil e Fetal estabeleceu a investigação das mortes maternas como tarefa essencial pata orientar as ações de redução desses óbitos. O desafio é reduzir a Razão de Mortalidade Materna para aproximá-la da meta de 35 por 100 mil nascidos vivos, estabelecida nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

29.05.2015

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá /  ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br 
 (85) 3466.4898