#Cearáemférias: Cineteatro São Luiz exibe o clássico Casablanca, Minions e outras atrações

30 de julho de 2015

A partir desta quinta-feira (30), o Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), retoma sua programação de filmes. Destaque nesta semana para o clássico “Casablanca” e para o blockbuster “Jurassic World”, em uma programação que também conta com atrações como a animação “Minions”, sob medida para a criançada, e com curtas e longas-metragens de diretores cearenses, de acordo com as diretrizes da política cultural do Estado. Tudo com entrada franca na sessão “Café com Curtas”, às 12h30 (com direito a cafezinho) e com ingressos populares nas demais sessões (inteira R$ 6,00 e meia R$ 3,00), democratizando o acesso à produção audiovisual do Ceará, do Brasil e do mundo.

Rcasablanca

A programação desta quinta-feira (30), começa com a sessão “Café com Curtas”, quinta e sexta, às 12h30, com exibição de curtas-metragens de diretores cearenses, com entrada franca e cafezinho servido no ponto. Quinta serão exibidos “Monte Pedral”, de Marcley de Aquino, e “Jus”, de Marcelo Dídimo. “Monte Pedral é um documentário poético sobre a criação de gado bovino no sertão nordestino. ”Jus” é um filme sobre um dos animais mais simbólicos do Nordeste brasileiro, o jumento.

Ainda na quinta-feira às 15h tem o longa “Rânia”, de Roberta Marques, na sessão “Cinema do Ceará” (classificação indicativa 14 anos). Às 18h, na sessão sonora, nova oportunidade para assistir ao documentário musical “Cauby”, de Nelson Hoineff, sobre um dos maiores intérpretes brasileiros de todos os tempos, Cauby Peixoto.

Na sexta-feira (31), às 12h30, a sessão “Café com Curtas” exibe “Memórias do Edifício São Pedro”, de Rebeca Prado, e “Raimundo dos Queijos”, de Victor Furtado. O primeiro documentário trabalha a história do antigo, e aparentemente esquecido, edifício São Pedro, marco histórico da época de ouro da Praia de Iracema, através das memórias daqueles que viveram ou tiveram alguma ligação com o prédio. Apesar de utilizar o edifício como elemento congregado das diversas histórias expostas no filme, seus protagonistas são as recordações e causos daqueles que se envolveram emocionalmente com o prédio. Já o filme dedicado a Raimundo dos Queijos aponta como um oásis de gente revela outro lado da vida no Centro da cidade.

Também na sexta, às 15h, tem “Lagoa Remix”, do cearense Leonardo Mouramateus, e “Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros” (2015), do norte-americano Colin Trevorrow (classificação indicativa: 12 anos). Às 18h, na sessão “Nossos Clássicos”, tem “Bem me quer”, filme de Levi Magalhães, de 2014, e o clássico “Casablanca”, de 1942, dirigido por Michael Curtiz (classificação Indicativa: 12 anos), com os eternos astros Humphrey Bogart e Ingrid Bergman. Assim, todos os longas serão precedidos de curtas-metragens de autores cearenses, em uma nova experiência de destaque para a produção audiovisual local, no São Luiz.

Rjurassic

No sábado (1/8), a programação começa às 11h, com a sessão “Matinê” apresentando os “Minions”, de Chris Renaud (EUA, 2015, classificação livre, dublado). A animação é a mais concorrida do momento, entre o público infantil.

Ainda no sábado às 15h tem nova sessão com “Lagoa Remix”, do cearense Leonardo Mouramateus, e “Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros” (2015), do norte-americano Colin Trevorrow (classificação indicativa: 12 anos). Às 18h, na sessão “Nossos Clássicos”, nova oportunidade para assistir a “Bem me quer”, filme de Levi Magalhães, de 2014, e ao clássico “Casablanca”.

No domingo (2/8), segue a mesma programação, com as sessões de 15h e 18h. Às 15h com ““Lagoa Remix”, do cearense Leonardo Mouramateus, e “Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros” (2015). Às 18h, com “Bem me quer”, filme de Levi Magalhães, de 2014, e o clássico “Casablanca”.

São Luiz: arte, cultura e diversão para todos

O Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) e um dos espaços de maior valor simbólico, patrimonial e afetivo para a população cearense, voltou à cena com uma programação para todos os públicos. Inaugurado em 1958 e restaurado em 2014 pelo Governo do Estado com uma nova configuração, o São Luiz tornou-se capaz de abrigar espetáculos de dança, música, teatro e outras linguagens, além de outros eventos.

“A programação dessa nova fase é uma demonstração das possibilidades do novo conceito do São Luiz, que além de cinema é agora também teatro, aberto às artes cênicas, à música, às linguagens integradas. Um equipamento de excelência técnica e que tem vocação para ser popular, estar perto das pessoas, com uma programação incluindo desde filmes e espetáculos de maior elaboração, com destaque para a produção cearense”, destaca o secretário da Cultura do Estado do Ceará, Guilherme Sampaio. “O São Luiz é um palco privilegiado também para a produção local, em todas as linguagens artísticas, com diálogo permanente com os seus representantes”, ressalta o secretário.

O São Luiz a e política cultural

Como ressalta o secretário da Cultura do Estado do Ceará, Guilherme Sampaio, o Cineteatro São Luiz tem por princípio, em sintonia com as diretrizes da política cultural do Estado, ser um espaço de referência em difusão cultural e apreciação artística, oferecendo à população uma programação acessível e de qualidade, recontextualizando a história e dando atenção à produção contemporânea.

Entre os objetivos elencados pelo secretário estão posicionar o São Luiz como equipamento de destaque no roteiro cultural do Centro de Fortaleza, promover e ampliar o contato do povo cearense com experiências artísticas e estéticas, contribuir para a formação de novos públicos para a cultura e para a democratização do acesso à produção cultural e artística cearense, bem como para a difusão permanente e a valorização dos trabalhos de nossos artistas, em variadas linguagens. Além de estimular os sentimentos de reconhecimento e pertença, de valorização da produção local pelo próprio público cearense e de maior exercício dos direitos à cidade e à cultura, inclusive com movimentação de público para além dos horários habituais do comércio.

Outras diretrizes são destacar a memória afetiva e simbólica do cineteatro e sua qualidade técnica como sala de cinema e casa de espetáculos de referência nacional, oferecendo uma programação acessível, consistente e crescente para formar o hábito e o imaginário do espaço. Além de se relacionar com o entorno (artistas de rua, trabalhadores e frequentadores do Centro e dos bairros próximos) e estabelecer um elo entre gerações, como um espaço para todas as idades. Como se viu na programação de domingo, 26/7, dedicada aos Beatles, em que o público foi de crianças de colo a senhores de mais de 90 anos de idade, como Francisco Custódio, que comparecera à sessão de inauguração do São Luiz original, em 1958.

SECRETARIA DA CULTURA DO ESTADO DO CEARÁ – SECULT

30.07.2015

Entrevistas/mais informações:
(85) 8699-6524 – Dalwton Moura
(85) 8829-8222 – Clovis Holanda
(85) 8848.4987 – Paula Candice
(85) 3101-6761 / secultmkt@gmail.com

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br
 (85) 3466.4898