Bolsista da Funcap pesquisa fatores de desgaste da Bacia do Rio São Gonçalo

9 de novembro de 2015

Localizada entre os municípios de Maranguape, Caucaia, Palmácia, Pentecoste, Paracuru e São Gonçalo de Amarante, a Bacia Hidrográfica do Rio São Gonçalo possui uma variedade de ambientes que proporcionam uma diversidade de modos de uso da terra. Porém, com o crescimento populacional, a falta de manejo público eficiente e o uso desordenado dos recursos naturais, o desgaste na bacia hidrográfica está ocorrendo mais rapidamente.

Rotavio landimO bolsistaOtavio Landim, estudante de doutorado em Geografia na Universidade Federal do Ceará (UFC), está recebendo o apoio da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) para estudar os fatores de desgaste da Bacia Hidrográfica do Rio São Gonçalo e desenvolver soluções para os problemas causados por essa degradação.

“A intensificação de atividades econômicas acentua o processo de desenvolvimento pautado em uma lógica de  desestruturação dos recursos naturais, e de outro lado tem-se a necessidade de se pensar no bem estar da população e na viabilização de práticas de manejo e desenvolvimento sustentável dos recursos ambientais” explica o bolsista.

De acordo com o artigo ?Potencialidades de aproveitamento hídrico no alto curso da Bacia do Rio São Gonçalo-CE?, dos pesquisadores Ícaro de Paiva Oliveira, Iaponan Cardins de Sousa Almeida e Marcos José Nogueira de Souza, a degradação da natureza na área ocorre principalmente devido ao uso agrícola inadequado praticado pelas comunidades da região. Alguns exemplos são: o cultivo de milho e feijão nas áreas mais elevadas, plantio em roçados e entorno da barragem de Itapebussu e a fazendas pecuárias entorno da mesma barragem.

Iniciada em 2013, a pesquisa do doutorando visa identificar os impactos ambientais provenientes das ações humanas, especificando os tipos de uso da terra, bem como os principais agentes causadores da degradação ambiental. Além disso, objetiva realizar um diagnóstico socioambiental da área de estudo fundamentado em indicadores do meio físico, biótico e socioeconômico; e apresentar as ações necessárias para um ordenamento territorial adequado do conjunto da bacia hidrográfica por meio de um plano de ações integradas.

“A hipótese a ser verificada durante as ações inerentes a esta pesquisa diz respeito se a utilização de indicadores sociais, ambientais e econômicos podem ser apropriados pelas gestões municipais visando estabelecer um conjunto de políticas públicas condizentes com a realidade local”, explica o pesquisador.

Sobre o pesquisador

Otavio Landim cresceu e estudou no município de General Sampaio. Em 2004, logo após ter concluído o ensino médio, mudou-se para Fortaleza, onde passou três anos prestando vestibular, até que em 2007 passou para Geografia na UFC. Ele iniciou suas atividades acadêmicas como voluntário no antigo Laboratório de Climatologia e Recursos Hídricos, atual
Laboratório de Geoecologia da Paisagem e Planejamento Ambiental (LAGEPLAN), e foi bolsista de Extensão, Iniciação Científica e monitor voluntário.

Em 2013, o bolsista teve sua dissertação de mestrado premiada como a melhor pesquisa da Pós-Graduação em Geografia no VI Encontro de Pesquisa e Pós-graduação da UFC. Otavio diz que após a conclusão da tese de doutorado pretende seguir a carreira acadêmica.

Fotos: Otavio Landim/Acervo pessoal.

09.11.2015

Assessoria de Comunicação da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento
Científico e Tecnológico (Funcap)
Telefone: (85) 3275-9629
www.funcap.ce.gov.br
Twitter: @FuncapCE

Ana Martins
Gestora/Célula de Monitoramento

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado do Ceará
Casa Civil / (85) 3466.4898