Ceará supera meta de vacinação de cães e gatos contra raiva

14 de dezembro de 2015

A campanha de vacinação de cães e gatos contra a raiva, que começou há um mês, no dia 14 de novembro, termina nesta segunda-feira (14),  mas o Ceará já foi muito além da meta. Vacinou 91,05%, até às 11 horas desta segunda-feira. A meta era de 80%, estabelecida pelo Ministério da Saúde. Em todo o Estado foram vacinados 1.019.392 cães e 463.199 gatos. Os donos de filhotes vacinados pela primeira vez não podem esquecer que devem retornar aos postos 30 dias depois para a aplicação da segunda dose da vacina antirrábica.

Para quem, por algum motivo, perdeu o período da campanha de vacinação não há razão para deixar o cão ou gatinho com a saúde desprotegida. Basta procurar as secretarias municipais de saúde, que indicam os locais de vacinação permanente, que funcionam todos os dias. São vacinados os animais sadios a partir de três meses de idade.

Com a superação de meta neste ano de 2015, já são 11 anos com o Estado atingindo coberturas vacinais de cães e gatos acima da meta de 80% do Ministério da Saúde. Mesmo com cobertura satisfatória, todos os cuidados precisam ser tomados. Até agosto deste ano foram confirmados dois casos de raiva. No município de Amontada houve um caso de raiva canina e um de raiva felina em Tabuleiro do Norte. De 2011 para cá, foram confirmados 11 casos de raiva em cães e três em gatos. De 2005 a 2012 foram registrados cinco casos de raiva humana, quatro deles transmitidos por soim e um através de cão. O último caso, em 2012, foi transmitido por soim, no município de Jati, na região do Cariri. O soim é um animal silvestre, que deve ser mantido na mata. O último caso transmitido por cão ocorreu em Chaval, em 2010.

 

O que é a raiva

Transmitida ao homem por mordida, lambida ou arranhão de um animal infectado, a raiva é um doença viral. Caso o dono de cão ou gato perceba alguns sinais da doença nos seus bichinhos, deve isolar os animais e avisar ao centro de zoonose da cidade. Entre os sinais de que os animais podem estar com raiva, está na mudança de comportamento. Um cão dócil, manso, que começa a atacar todas as pessoas, e que também começa a se esconder, pode estar com a doença. Outra coisa que os donos dos animais precisam ficar atentos: o cão e o gato raivosos rejeitam a alimentação. Não atendem ao próprio dono. Para as pessoas que foram mordidas ou arranhadas por qualquer animal, as dicas são: lavar imediatamente a parte do corpo que foi agredida com água e sabão e procurar um serviço de saúde para receber orientações sobre indicação de vacina ou soro.

14.12.2015

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / Helga Rackel ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Giselle Dutra
Gestora de Célula/ Secretarias

Coordenadoria de  Imprensa do Governo do Estado do Ceará
Casa Civil / 85 3466.4898