Alunos da Polícia Civil participam de Instruções de Planejamento e Técnicas Operacionais

11 de Abril de 2016

A prática de ações padronizadas e planejadas são alguns dos fatores que garantem o sucesso e a eficácia das operações policiais. E, para que esses procedimentos sejam aplicados de forma precisa e segura pelos futuros policiais civis do Estado do Ceará, os 768 alunos dos cursos de formação para delegados, escrivães e inspetores, em capacitação na Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (AESP/CE), participam de aulas de Planejamento e Técnicas Operacionais.

R MG 9504Durante as instruções, os alunos simulam situações de abordagem a suspeitos, revistas pessoais e domiciliares, condução de pessoas sob custódia, buscas e localizações de criminosos em recintos fechados e outros casos que permitem que os alunos coloquem em prática todo o conhecimento adquirido em sala de aula.

O Inspetor da Delegacia Metropolitana de Horizonte, Fernando César Ribeiro de Castro, instrutor do curso de formação de inspetores, conduziu uma simulação de abordagem a veículo suspeito. Nesse exercício, os alunos treinam métodos de verbalização, revista, algemamento e condução. “Eles vão mandar o carro suspeito estacionar à direita da via e pedem para que todos os passageiros do veículo desembarquem. Um dos membros  MG 9757da equipe faz uma varredura no carro, para ter certeza absoluta que de que não tenha mais ninguém e em seguida é realiza a busca pessoal e a checagem de documentos. Se estiver tudo certo, vai ser liberado e agradecido o trabalho. Mas se tiver algum tipo de delito é dada voz de prisão e conduzido até a delegacia”, explica. Segundo o inspetor, a repetição e a padronização dos exercícios são capazes de aumentar e melhorar a capacidade produtiva do aprendizado.

Em outro exercício, os alunos treinam técnicas de entrada e tomada de ambiente. O instrutor e inspetor da PCCE, José Ocelo Baracho, que atua na Divisão Antissequestro (DAS), explica a importância da atividade. “Nós procuramos fazer o treinamento dinamizado para a realidade. O nosso treinamento é praticamente um treinamento tático. Por isso que nós estamos treinando esse tipo de entrada, que é uma sequência utilizada em situações com reféns ou então à procura de outras pessoas dentro de casa. E esse treinamento é para isso, para eles estarem adestrados para seguir essas sequências”, esclarece.

Para a aluna Jéssica Mendes do Grupo 08 do Curso de Inspetores, aprimorar o treinamento das técnicas operacionais traz segurança aos novos agentes. “A experiência prática dessa cadeira é de suma importância porque são situações que a gente vai vivenciar realmente no nosso dia a dia. Eu nunca peguei em arma, a sensação que a gente tem a princípio é de medo, mas depois a gente vai se acostumando e depois a gente tem uma sensação de segurança, até pela segurança que os próprios instrutores passam pra gente. Então depois que o medo passa fica mais tranqüilo”, conta.

A disciplina de Planejamento e Técnicas Operacionais tem uma carga horária de 36 horas aulas e aborda assuntos que trabalham as características e planejamento das técnicas operacionais policiais; ação policial de risco; equipamentos e acessórios policiais; porte e manuseio seguro de armas de fogo; saque e retenção de armas; tipos e procedimentos na abordagem; revistas e buscas pessoal e domiciliar; técnicas de algemamento; tipos de conduções e deslocamentos e técnicas de entradas em recintos fechados.

Fotos: Anny Almeida e Leandro Freire (Ascom AESP)

11.04.2016

Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (AESP/CE)
Assessoria de Comunicação
(85) 3484-1909 / (85) 98879-7538
www.aesp.ce.gov.br
Facebook: AESP/CE
Twitter: @aespce

Assinatura coornenadoria matérias