Colégio Militar do Corpo de Bombeiros atinge maioridade fortalecendo a educação cearense

12 de Abril de 2016

Em 18 anos de atividade, comemorados nesta quarta (13), a instituição destaca-se pelo ensino diferenciado que presta aos seus 1.075 alunos


TS9030 webO momento mais esperando por todo jovem é a chegada dos 18 anos. É nesse período que se atinge a maioridade e, com ela, os direitos conquistados pelos adultos. Durante esse tempo, acumulamos conhecimento, adquirimos experiências e compartilhamos todo o aprendizado absorvido ao longo da vida. É o que faz o Colégio Militar do Corpo de Bombeiros (CMCB) do Estado do Ceará, desde a fundação, no dia 13 de abril de 1998.

Em 18 anos de atividade, comemorados nesta quarta (13), a instituição destaca-se pelo ensino diferenciado. O comandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Heraldo Maia Pacheco, enaltece o esforço dos estudantes e diz ter orgulho da unidade. “Nossos alunos são destaque no cenário educacional cearense e têm conquistado resultados expressivos nos mais variados concursos do país. Mas não é apenas isso que nós orgulha: por onde quer que passem, ao saber que se tratam de alunos ou ex-alunos do nosso colégio, a sociedade os vê como cidadãos preparados para a vida”, enfatiza.

TS9070 webAtualmente, o CMCB conta com 1.075 alunos distribuídos entre o Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio nos turnos manhã e tarde. A instituição também oferece, à noite, a Educação de Jovens e Adultos (EJA), destinada a jovens e adultos que não completaram a escolaridade de Ensino Fundamental ou Médio em idade própria, proporcionando-lhes a oportunidade de concluir seus estudos. Ao todo, cerca de trezentos profissionais compõe a gestão escolar da unidade.

O colégio possui uma estrutura física com 22 salas de aulas, dois auditórios, centro de multimeios, secretaria, refeitório, cozinha, quadra coberta poliesportiva, campo de futebol society, duas piscinas (uma semiolímpica), laboratórios de Física, Química, Biologia, Informática e Redação, biblioteca, três pátios cobertos, banheiros individuais e coletivos, estacionamento, entre outros departamentos.

O diretor da instituição, coronel Nildson Oliveira, diz que é gratificante saber que quem passa pelo colégio tem um futuro pela frente. “Muito nos alegra saber que nossos alunos estão se destacando dentro e fora da instituição e que os ex-alunos estão conquistando as mais diversas áreas profissionais. Portanto, continuaremos trabalhando para enaltecer ainda mais a Educação do Estado”, informa.

Em 2015, o CMCB atingiu a marca de 100% de aprovação no vestibular. Ao todo, foram 98 alunos aptos a ingressarem nas instituições de ensino superior, na grande maioria em universidades públicas. O colégio acumulou ainda, no ano passado, 23 medalhas (2 de ouro; 10 de prata; e 11 de bronze) em olimpíadas disputadas em nível nacional e estadual, além certificados de menção honrosa.

TS9107 web    TS9116 web

Para Nildson Oliveira, esse sucesso está não só na capacidade intelectual de cada estudante, mas também na equipe que compõe a instituição que, diariamente, trabalha dando o melhor de si. “O professor tem uma satisfação muito grande quando está em em sala de aula, por conta da disciplina que é vivenciada, não só pelo respeito, mas pela atenção, compromisso, empenho e dedicação dos alunos”, salienta.

A aluna Shelda Lisboa, de 15 anos, que faz o primeiro ano do ensino médio e estuda no colégio desde a primeira série do ensino fundamental, diz que parte da sua personalidade foi formada na unidade e que não trocaria o estabelecimento por nenhuma outra escola. “Cresci aqui e aprendi valores que levarei para o resto da vida. Não troco o CMCB por nenhuma outra escola do Brasil, pois aqui tenho todo suporte que preciso para alcançar meus objetivos”, finaliza.

Homenagem a Rachel de Queiroz

TS9153 webDe acordo com a Lei 27.251, sancionada em 17 de novembro de 2003, a unidade passou a ser denominada Colégio Militar do Corpo de Bombeiros Escritora Raquel de Queiroz. Uma homenagem prestada pelo corporação à nobre escritora cearense que, na década de 1930, quando então presa política, ficou no Quartel do Comando Geral e com sua humildade e profunda sabedoria conquistou todos do “Casarão Vermelho”. A escritora também homenageou os Bombeiros no conto “A Incendiária e os Bombeiros”, contando do orgulho de ter participado do dia a dia da corporação.

12.04.2016

Wiarlen Ribeiro
Repórter / Célula de Reportagem

Foto: Tiago Stille / Governo do Ceará

Assinatura coornenadoria matérias