#MêsdaMulher: uma celebração às pequenas vitórias no presídio feminino

8 de março de 2017 # # #

MAX0327.jpg

Na manhã desse oito de março, mesmo longe de suas famílias e seus sonhos, internas comemoraram pequenas conquistas como a de concluir uma capacitação profissional ou reduzir a pena a partir da leitura

“Mas é preciso ter força, é preciso ter raça, é preciso ter gana sempre”. Foi cantando Maria Maria que o coral – com 15 internas – do Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa deu o recado para as mais de 700 internas da unidade prisional. E é com raça que muitas delas têm encarado o cumprimento de suas penas. Na manhã desse oito de março, mesmo longe de suas famílias e seus sonhos, elas comemoraram pequenas conquistas como a de concluir uma capacitação profissional ou reduzir a pena a partir da leitura. Com a presença da primeira-dama do Estado, Onélia Leite Santana, e da secretária da Justiça e Cidadania, Socorro França, elas celebraram essas vitórias e conheceram novos espaços de assistência à saúde inaugurados na unidade prisional.

Centro e trinta e cinco internas, atendidas pelos programas Criando Oportunidades e Primeiro Passo Bolsista, parcerias entre a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) e a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), receberam os certificados dos cursos de pintura em parede, eletricista predial, jardinagem, sabonete artesanal, pintura e textura de paredes, doces e salgados e confecção de embalagens. Além das certificações, 30 internas da unidade receberam suas identidades de artesãs.

Outras 21 internas receberam suas certificações pela remição de pena pela leitura, parte do projeto Livro Aberto, uma parceria entre a Sejus e a Secretaria de Educação (Seduc) que possibilita a redução da pena de internos. A cada livro lido, quatro dias da pena são abatidos.

MAX0152_web.jpgTerezinha Rodrigues, artesã certificada pela Ceart, conta que antes de chegar à unidade não tinha contato com a produção de artesanato, mas que com sua força de vontade e o incentivo recebido na unidade, desenvolveu habilidades que podem mudar sua vida. “Me sinto privilegiada por ter tido aqui a oportunidade de aprender um novo ofício e, fora daqui, poder mudar a minha história, ter como sustentar minha família e sobreviver”, celebra.

A inauguração dos espaços materno-infantil e de incentivo à amamentação também são conquistas inauguradas hoje. Os espaços voltados à assistência especializada no ato do aleitamento materno e nos cuidados com a saúde da mulher são avanços que asseguram os direitos das internas e de seus filhos.

A primeira-dama do Estado, Onélia Leite, destacou a importância de inaugurar um espaço de assistência à mulher e a seus filhos. “Existem muitas crianças aqui que precisam estar próximas das mães, de um espaço para a amamentação, para a medicação e o diagnóstico”, frisa Onélia. Ela compreende que a maternidade pode conscientizar as mulheres. “A maternidade é um período muito importante para a mãe, de refletir as atitudes e seguir em frente com novos horizontes”, complementa.

A secretária da Justiça e Cidadania Socorro França destaca a relevância das melhorias. “Esse é apenas o pontapé inicial em uma série de melhorias que planejamos. Traremos muitas outras políticas públicas de saúde ao Instituto Penal Feminino, pensando sempre em assegurar às internas o direito à vida digna”, afirma.

08.03.2017

Assessoria de Comunicação
Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará
– (85) 3101-2862 www.sejus.ce.gov.br
email: ascom.sejus@gmail.com
twitter:@sejus_ce
facebook: sejusceara

Expediente imprensa 09jan 2017-01