Alunos da rede estadual são medalha de ouro na Olimpíada de Física das Escolas Públicas

14 de março de 2017 # # # #

Os alunos José Victor Bezerra Barbosa e Elder Dutra Carneiro, da rede estadual de ensino, conquistaram medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP), em 2016, no âmbito do Ceará. Os jovens estudam, respectivamente, na Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Poeta Sinó Pinheiro, em Jaguaribe, e na Escola de Ensino Médio (EEM) Joaquim Magalhães, em Itapipoca. No ano passado, os dois cursavam a 2ª série do Ensino Médio.

José Victor, de 16 anos, agora na 3ª série, tem interesse pela área de exatas. Gosta de cálculos, física e química. Sempre estudou em escola pública. Quando entrou na EEEP, não conhecia a Olimpíada, mas foi incentivado a participar pelo professor e gestores. “Na 1ª série, adquiri experiência e tracei como meta vencer a olimpíada e o resultado veio agora”, comemora.

Para essa conquista, destaca o período de estudos à noite e nos fins de semana, com a resolução de provas. “Agradeço ao meu professor, Fábio Lima, pelo tempo dedicado e pelas orientações dadas, além da gestão escolar presente”, explica. Ele diz ainda que para além da premiação, dividir essa conquista com a escola e ver outros alunos interessados em saber dicas de livros para melhorar a aprendizagem é muito especial. “Agora, meus colegas pensam assim, se ele ganhou, eu também tenho a mesma chance”, argumenta. Sua meta agora é uma vaga no Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA).

Para o professor Fábio Lima, da disciplina de Física e orientador de José Victor, a medalha representa mais uma conquista das escolas de tempo integral, que incentivam os alunos a participarem de diversas atividades extracurriculares, inclusive das olimpíadas escolares, em que cada estudante pode escolher a de sua maior identificação. “Para a disciplina de Física, esse reconhecimento motiva os estudantes a buscar um maior interesse pela área de Ciências da Natureza, pois ficou claro que, com um objetivo, todos têm a capacidade de chegar aonde quiserem”, ressalta o professor, que considera uma vitória para a cidade de Jaguaribe.

Elder Dutra Carneiro tem 17 anos e também está na 3ª série do Ensino Médio. Além da medalha de ouro na Olimpíada de Física, foi bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), em 2016. Diz que se surpreendeu positivamente com o resultado da  OBFEP e a família recebeu a notícia com alegria.

Agora, seu maior objetivo é cursar Engenharia Civil em uma universidade pública, como seu irmão que faz o mesmo curso. “Desde então que despertou meu interesse pela física e pela matemática. A participação em olimpíadas tem um significado especial na minha vida de estudante. O mérito das Olimpíadas a gente leva pra sempre”, frisa.

Elder fala que a escola é muito importante. Ele busca por literatura mais especializada, melhorando seus conhecimentos básicos, resolvendo questões de nível mais elevado. “Conto também com a ajuda de meus professores na resolução de problemas”. Antes, o aluno já demonstrava interesse em eventos científicos, mas intensificou no Ensino Médio.

Conforme o coordenador Rômulo Amorim, a EEM Joaquim Magalhães incentiva de maneira intensa a participação de seus alunos nos eventos científicos. Na Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), obtiveram várias medalhas de prata e bronze, bem como inúmeras menções honrosas; na OBMEP, conquistaram, por duas vezes consecutivas, medalha de ouro. “Esta premiação só vem coroar o trabalho em equipe desenvolvido em nossa escola, acreditando sempre na capacidade dos jovens em alcançar objetivos mais altos. A EEM Joaquim Magalhães é aquela escola que acredita no potencial de seus alunos e os mesmos acabam por incorporar este sentimento, aí então os resultados aparecem”, diz o gestor.

Prata e Bronze

Ainda conforme os resultados da OBFEP, da 1ª série do Ensino Médio, os alunos Gustavo Emanoel Lima Pinheiro, da Escola Profissional Antonio Rodrigues de Oliveira, em Pedra Branca, e José Tiago Mota Crispim, da Escola de Ensino Médio Dona Marieta Cals, em Cariré, ganharam medalha de prata. O bronze ficou com os alunos Brenda Freitas da Silva, da EEEP Mons. Expedito da Silveira de Sousa, em Camocim, Lucas Eduardo Lima Silva, da  Escola Profissional Gov. Virgílio Távora, no Crato, e Sérgio Ronike Fraga Cavalcante, aluno da EEEP Salomão Alves de Moura, no município de Aracoiaba.

Na 2ª série, a medalha de prata foi para Lynda Hillary dos Santos, Marcos Vinícius Nobre Leitão e Samuel Oliveira Barbosa. Os três estudam, respectivamente, na EEM Joaquim Magalhães, de Itapipoca, na EEM Waldir Leopércio, em Varjota, e EEEP Maria Eudes Bezerra Veras, em Novo Oriente. A medalha de bronze ficou com o aluno Mário Victor Gonzaga Monteiro, da EEEP Antônio Rodrigues de Oliveira, de Pedra Branca.

No ano passado, o aluno da 3ª série, João Victor dos Reis Gomes, conquistou medalha de Prata. Ele estudava na EEEP Monsenhor Expedito da Silveira de Sousa, em Camocim. O bronze foi para Amanda Rocha de Oliveira, Christian Severino da Silva, Lucas Anderson Albuquerque Nascimento, Lourival Matias Carneiro Neto, Marllow Rodrigues Ferreira e Ysla Castro de Moraes, do Colégio Militar do Corpo de Bombeiros, em Fortaleza. Também foram agraciados, Clarissa Marcelino do Nascimento e Victor Manoel Procópio de Souza, da EEM Waldir Leopércio, em Varjota, e Matheus Feitosa Ferreira, de Camocim, matriculado na EEEP Mons. Expedito da Silveira de Sousa.

OBFEP

Em sua 5ª edição, a Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP) é uma promoção do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), através do CNPq, e constitui um programa permanente da Sociedade Brasileira de Física (SBF), responsável por sua execução. No ano de 2016, cerca de 500.000 (quinhentos mil) alunos participaram do evento.

14.03.2017

Assessoria de Comunicação da Seduc
imprensa@seduc.ce.gov.br

Expediente imprensa 09jan 2017-01