Curso capacita profissionais em epidemiologia de campo

21 de março de 2017 # # # # #

banner episus mar2017 site 002

A Secretaria da Saúde do Estado iniciou nesta segunda-feira, 20 de março, na Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE), o treinamento de 25 profissionais da vigilância em saúde de seis municípios no projeto-piloto EpiSUS-Fundamental, que capacitará em todo o país 175 profissionais de secretarias estaduais e municipais de saúde que enfrentaram a emergência da epidemia de Zika vírus e suas consequências ou que se localizam em área de fronteira com outros países. O curso, com duração de 12 semanas, é resultado da Carta de Colaboração firmada em 13 de março entre o Ministério da Saúde, a Rede de Programas de Treinamento em Epidemiologia de Campo e Intervenções em Saúde Pública (TEPHINET) e a Rede Sulamericana de Programas de Treinamento em Epidemiologia de Campo (REDSUR), para o planejamento e implementação de atividades relacionadas à formação, o desenvolvimento e o uso de profissionais capacitados em epidemiologia de campo e saúde pública.

O projeto-piloto acontece no âmbito do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde (EpiSUS) e começa pelo Ceará, envolvendo os municípios de Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Paracuru, São Gonçalo do Amarante e Itaitinga. Na sequência, o projeto será levado aos estados de Pernambuco e do Paraná. O EpiSUS-Fundamental é o primeiro nível de treinamento da estratégia FEPT-piramidal (Fiel Epidemiology Training Program), desenvolvida pelos Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC). O objetivo é capacitar profissionais de saúde para adquirirem ou aprimorarem habilidades epidemiológicas para realizar vigilância eficiente, investigar casos, responder a surtos e outros eventos de saúde e realizar comunicação em saúde pública. Após a finalização e avaliação do projeto-piloto EpiSUS-Fundamental, a estratégia poderá ser implementada em outros estados e regiões do país e também ampliada para a formação intermediária.

“É um programa orientado a fortalecer e criar uma capacidade em epidemiologia de intervenção nos municípios e regiões de saúde, a fim de identificar e realizar intervenção mais prontamente possível quando existam problemas de saúde”, descreveu o diretor de programas da TEPHINET, Dionisio Herrera-Guibert, que esteve presente à abertura do curso. “Essa iniciativa, que também está se desenvolvendo em outros países da América Latina, é uma iniciativa coordenada, e estamos utilizando estratégias similares de formação, adaptadas ao contexto de cada país”, acrescentou. O coordenador-geral de Vigilância e Resposta às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde, Márcio Garcia, destacou a conversa com o secretário da Saúde do Ceará, Henrique Javi, sobre a importância de fortalecer a epidemiologia e a vigilância no Estado. “Tivemos o compromisso da gestão estadual de apoiar o projeto-piloto e dar sequência a esses treinamentos, com o objetivo de ter uma grande massa de pessoas devidamente formadas e aptas a desenvolver a epidemiologia de campo nos seus locais de trabalho”, contou ele.

A ideia, conforme Márcio Garcia, é que o Estado dê sequência ao curso, com a formação de novas turmas, de forma que se garanta a presença de pessoas formadas pelo EpiSUS-Fundamental em todas as regiões de saúde e na maioria dos municípios. “O impacto que isso terá na saúde no sentido de prevenção e controle de doenças é praticamente imensurável”, disse. “O Estado pretende manter essa capacitação para que os profissionais estejam prontos para o enfrentamento de uma emergência em saúde pública e que esse conhecimento seja alinhado para todos os profissionais que fazem vigilância no nosso Estado”, antecipou a coordenadora de Promoção e Proteção à Saúde da secretaria estadual de Saúde, Daniele Queiroz.
21.03.2017

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara