Conferência abordará políticas públicas voltadas para a igualdade racial no Estado

8 de novembro de 2017 # # #

Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Promoção da Igualdade Racial - ceppir@gabgov.ce.gov.br

Melhorar os serviços públicos prestados aos povos discriminados historicamente por questões étnicas e raciais. Focada nesse progresso, a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Promoção da Igualdade Racial (CEPPIR) realizará nos dias 11 e 12 de novembro, no Hotel Porto D’Aldeia, na praia da Sabiaguaba, a IV Conferência Estadual de Igualdade Racial.

O evento abordará o reconhecimento, a justiça e o desenvolvimento na década dos afrodescendentes (2015 – 2024), com foco na equidade entre as pessoas e na superação do racismo. Duzentos representantes do poder público e da sociedade civil, além de 30 delegados do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial, participarão do encontro. “Queremos que negros/as, indígenas, quilombolas, ciganos e povos de terreiro consigam acessar direitos, bens e serviços. Esse é, portanto, um espaço para controle de politica pública e de transversalidade”, afirma a coordenadora da CEPPIR, Zelma Madeira. A Conferência também contará com a presença de representantes da Secretaria Nacional de Promoção da Igualdade Racial e do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial.

Para se preparar para a Conferência Estadual, a Coordenadoria realizou oito conferências macrorregionais em todo o Ceará, quando foram eleitos os delegados representantes. A iniciativa serviu para mapear os avanços relativos a políticas públicas desde a conferência anterior, e definir novas propostas de ações para os próximos anos, que serão encaminhadas para a Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial, que ocorrerá em Brasília/DF, em 2018

Informações complementares:

Indígenas – O Ceará tem hoje 14 etnias indígenas: Tapeba, Tabajara, Potyguara, Pitaguary, Tremembé, Anacé, Kanindé, Tapuia-Kariri, Jenipapo-Kanindé, Kalabaça, Tubiba-Tapuia, Kariri, Gavião e Tupinambá. Eles contam com 23 terras indígenas registradas, sendo esta a principal bandeira de luta dessa população. O último mapeamento apontou um total de 33.000 indígenas em 20 municípios do Estado.

Quilombolas – A Comissão Estadual de Remanescentes de Quilombos reconhece 74 comunidades, sendo 49 certificadas pela Fundação Palmares.

Povos de terreiro – Segundo dados do IBGE 2010, há 8.624 adeptos das religiões de matriz africana e afrobrasileira no Ceará. Eles são conhecidos por nomenclaturas como: Catimbó, Terecô, Macumba, Jurema, Quimbanda, Umbanda, Omoloko e o Candomblé em suas várias vertentes.

Negro/as – O censo do IBGE de 2010 aponta que dos 8.452.381 habitantes, 31% se declararam brancos, 2,7% negros, 66,1% pardos e 0,2% de indígena. Também aponta uma marcante presença de africanos (as), em busca de formação educacional e profissional e que, em particular, são atingidos também pela discriminação racial e pelo racismo. Atualmente, mais de 2 mil africanos que possuem registro de residência no Ceará.

Serviço

IV Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial
Data: 11 e 12 de novembro
Local: Hotel Porto D’Aldeia