Seminário constrói propostas para o Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos

17 de novembro de 2017 # #

Ana Carolina Carvalho - Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Direitos Humanos
anacarolina.carvalho@gabgov.ce.gov.br - 3133.3718 / 99708.4004

Na tarde da última quinta feira (16), servidores públicos participaram do Seminário sobre Direitos Humanos, realizado na sede da Escola Superior do Ministério Público (ESMP-CE).

Idealizado pelo Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos e a Rede de Escola de Governo, o evento serviu para orientar os participantes sobre as especificidades do tema e construir propostas para o Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos, direcionado para o eixo educação de servidores públicos. Durante a oficina, temas como sistema carcerário, ética dos servidores públicos, pontos de cultura, responsabilidade do Estado e potencialização de ações exitosas foram destaques.

Para Hilária Barreto, coordenadora geral da Rede de Escolas de Governo do Ceará, o assunto é de fundamental importância para ser discutido de forma ampla, para além de reuniões internas. “Trazer esse tema dentro desse cenário nacional é uma conquista. Não é de hoje que se luta pelos direitos humanos. Faz parte de uma história, é constante, não pode parar”, enfatiza.

A expositora Dra. Lídia Valeska citou o caráter valorativo da abordagem. Segundo ela, para haver uma sociedade justa é necessário ter a efetivação desses direitos. “A educação deve ser entendida como um processo reflexivo e prático para a concretização deles nos patamares éticos. A educação deve promover mediações fundamentais, tanto para o acesso ao legado histórico, quanto para a compreensão de que a cultura nos direitos humanos pode ser um alicerce para a mudança social”, conclui.

O coordenador Especial de Políticas Públicas dos Direitos Humanos do Estado do Ceará, Demitri Cruz, acredita que essa formação faz parte de um processo de mudança para superar situações caóticas. “A grande premissa de pensar em direitos humanos é a capacidade que você tem de tentar compreender a situação do outro, tentar se colocar no lugar do outro, de reconhecê-lo como ser humano. Construir nosso processo de formação é criar uma semente para repactuar as situações que vivemos em sociedade”, destaca.

O Ministério Público tem como uma de suas funções promover os direitos humanos. Também por esse motivo, o diretor geral da Escola Superior do Ministério Público, Manuel Freitas, acredita que o seminário serve como instrumento de capacitação. “É sempre muito bom discutir temas como esse na escola. Estamos em um cenário mundial de graves retrocessos nos direitos humanos. Cabe a nós reagir, produzir conhecimento, defender o que acreditamos”.