Coordenadorias especiais apresentam projetos aos Conselhos Comunitários de Defesa Social

14 de Maio de 2018 # # #

Rafael Ayala - Assessoria de Imprensa da Coordenadoria de Direitos Humanos

“Atingimos o objetivo, que era justamente estabelecer pontes interinstitucionais. Quando essas políticas tão necessárias para a cultura de paz, para a promoção da defesa social, que criam impactos diretos na segurança pública cidadã, puderam ser acessadas e conhecidas pelos conselheiros de defesa social”. A avaliação é do tenente-coronel Bernardo Aguiar, coordenador de Defesa Social da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), sobre o o Encontro Regional dos Conselhos Comunitários de Defesa Social de Fortaleza e RMF. O evento contou com a participação das Coordenadorias Especiais de Políticas Públicas do Gabinete do Governador (Direitos Humanos, Mulheres, Igualdade Racial, Juventude, Idosos e Pessoas com Deficiência), neste sábado, dia 12.

Para a coordenadora especial de Políticas Públicas para as Mulheres, Camila Silveira, é importante disseminar as informações para o emponderamento da sociedade. “A gente tem três canais de diálogos relacionados ao enfrentamento à violência contra as mulheres. Um é o 180, o outro é nossa própria Ouvidoria Estadual de Direitos Humanos, por meio do 155. E o outro é o CIOPS. Porque a gente sempre fala que esses dois primeiros canais são para fazer denúncias, mas o canal que a gente precisa fazer o enfrentamento do risco iminente de morte ainda é com Polícia Civil e Militar”, destaca.

A coordenadora falou sobre violência contra a mulher, citando a Lei Maria da Penha e as ações desenvolvidas pela Coordenadoria, como as ações com unidades móveis de atendimento. “A gente precisa emponderar essas pessoas, dar o poder para elas de dialogar com a sociedade, porque a violação dos direitos humanos e a violência contra as mulheres são silenciosas, dentro de casa, de um espaço de trabalho. Então, é preciso dizer que é possível romper esse ciclo de violência”, complementou Camila.

Os coordenadores e representantes presentes enalteceram o momento de diálogo e ressaltaram a importância de participação dos conselhos e da população como um todo na construção e implementação de políticas públicas. “É fundamental aprofundar os laços com os conselhos, por eles terem contato com diversas realidades da cidade”, pontuou Demitri Cruz, coordenador especial de Direitos Humanos.

Rebecca Cortez Dauer, coordenadora especial de Políticas Públicas para os Idosos e as Pessoas com Deficiência, trouxe alguns conceitos sobre a pauta e destacou a participação popular como fundamental para o monitoramento das ações e denúncia de violações. “Vocês (conselheiros) têm papel fundamental para dar capilaridade às discussões nos bairros e comunidades”, afirmou o orientador de célula da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial, José Maria Silva.